Algarve será integrado na Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica

A ministra da Presidência e da Modernização Administrativa Mariana Vieira da Silva preside esta sexta-feira, dia 5 de abril, às 11h30, à assinatura de dois protocolos da nova geração para a Territorialização da Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica, que terá lugar na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve, em Faro.

Estes protocolos envolvem dezassete municípios e mais de setenta entidades parceiras de diferentes áreas governamentais: cidadania e igualdade, educação, emprego, forças de segurança, justiça, reinserção social, saúde e segurança social. Assim, todo o território do Algarve passa a ter respostas de atendimento especializado a vítimas de violência contra as mulheres e violência doméstica.

Esta nova geração de Protocolos de Territorialização, iniciativa da secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade Rosa Monteiro integra a Estratégia Nacional para a Igualdade e Não Discriminação – Portugal Mais Igual, chega ao Algarve com a criação de três Gabinetes de Apoio às Vítimas, decorrentes deste compromisso e cujas ONG coordenadoras são a APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima e TAIPA – Organização Cooperativa para o Desenvolvimento Integrado e envolvem um investimento de 268 mil euros, assegurados pelo Governo e municípios.

Os municípios do Algarve envolvidos são Albufeira, Alcoutim, Aljezur, Castro Marim, Faro, Lagoa, Lagos, Loulé, Monchique, Olhão, Portimão, São Brás de Alportel, Silves, Tavira, Vila do Bispo e Vila Real Santo António e, no Alentejo, o município de Odemira.

A CCDR do Algarve destaca ainda, em nota de imprensa, enquanto entidades outorgantes, as Comissões de Protecção de Crianças e Jovens locais, as Federações de Bombeiros do Algarve e de Beja e as Universidades do Algarve e de Évora.

You may also like...

Deixar uma resposta