Rumores e boatos da política do nosso Algarve

O candidato que veio da serra

A cumprir o seu último mandato, o presidente da Câmara de Monchique, Rui André, é visto com cada vez maior frequência em Portimão. Tornou-se grande adepto do Portimonense, não falha um evento institucional e até aparece de surpresa em algumas iniciativas da chamada ‘sociedade civil’. Será que está encontrado o próximo candidato do PSD à presidência da Câmara de Portimão?

Mandem lá o comandante dos Bombeiros apagar incêndios de bicicleta a pedal

 

Fazer oposição não é fácil, mas há gente que abusa um bocadinho. Numa sessão da Assembleia Municipal de Portimão, ao debater-se a proposta de promoção do Comandante Operacional Municipal da Proteção Civil (que é, ao mesmo tempo, Comandante dos Bombeiros), gerou-se uma enorme discussão sobre a disponibilização àquele responsável de um carro de serviço.

Um dos deputados municipais não se mostrou convencido dessa necessidade, tendo sugerido que, sempre seja chamado a uma emergência, o Comandante vá no seu próprio carro até ao quartel dos Bombeiros e que aí faça, então, o transbordo para uma viatura da corporação. Se a discussão durasse mais algum tempo, ainda era capaz de aparecer alguém a sugerir que o homem fosse de bicicleta a pedal apagar incêndios!

 

Antigo autarca tramado 

Um antigo autarca algarvio cansou-se da reforma e resolveu comprar um jornal local que até andava à procura de novo dono já há muito tempo.

Parece que a ideia era entreter-se um bocado e mandar umas bocas à Câmara – do barlavento algarvio -, que é de uma cor política diferente da sua. E, se calhar, começar a promover um candidato da oposição às próximas eleições autárquicas…

O problema é que andou a contar a sua ideia a meio mundo e a coisa acabou por chegar aos ouvidos do poder instalado, que deve ter tomado as suas providências.

E, assim, por mera coincidência, à última hora, o antigo autarca viu o negócio já acertado ir por ‘água abaixo’. Dizem as más-línguas que na sombra estará um empresário amigo do poder político vigente, que se disponibilizou a aguentar, financeiramente, o jornal e impedir, assim, que fosse parar à posse do antigo autarca.

 

Cimeira da Paz

Há dois executivos municipais, do mesmo partido e de concelhos vizinhos, que, praticamente, não se podiam ver. Houve uns problemas no início do anterior mandato e a partir daí as coisas nunca mais entraram nos eixos.

Mas agora parece que querem tornar-se amigos. Ainda estiveram para mandar fechar uma das pontes que liga os dois concelhos para aí fazerem a Cimeira da Paz, mas mudaram de ideias.

O encontro foi levado a cabo num local mais recatado, consta que se fumou o cachimbo da paz e que se colocou uma pedra sobre o passado.

A única dúvida que se coloca é porque é que resolveram tornar-se amigos agora. Vão juntar forças com que objetivo?

 

Um aeroporto para Lagoa

Não há fome que não dê em fartura. Depois do presidente da Câmara de Lagoa ter andado a queixar-se que o Governo ignora o seu concelho, logo António Costa resolveu aparecer para colocar água na fervura.

Com o chefe a dar o exemplo, alguns governantes começaram, de imediato, a colocar Lagoa nas suas rotas. A ponto de se correr sérios riscos de, nos próximos tempos, haver grandes engarrafamentos de trânsito nas principais entradas de Lagoa, tal a quantidade de membros do Governo que quer ir tomar café com Francisco Martins.

Para facilitar as deslocações aos ministros e secretários de Estado, e não massacrar ainda mais a vida dos automobilistas algarvios, há até quem já esteja a pensar na hipótese de se construir um aeroporto – ou, vá lá, um aeródromo – em Lagoa.

E, tendo em conta a afeição que o Governo passou a dedicar ao concelho, dinheiro para isso não há-de faltar. Há que aproveitar.

 

Dicionário

Se uma noite destas resolver ir assistir a uma sessão da Assembleia Municipal de Portimão e se deparar com um deputado do PSD a consultar afincadamente um dicionário, não se espante.

É que o homem já confessou que não percebe metade das palavras caras usadas por um eleito do PS, pelo que vai ter de usar esse expediente.

Tendo em conta a reacção da plateia e de outros eleitos quando produziu esta afirmação, é mais que certo que vai haver lista de espera para consultar o dicionário…

 

Ai se Bruno de Carvalho sabe…

Um vereador da Câmara de Lagos, que é sportinguista ferrenho, costuma ir ver jogos de futebol à Casa do Benfica – ai se Bruno de Carvalho sabe…

Não esconde a ninguém a filiação clubística, mas justifica, de alguma forma, a sua presença ali pelo facto de todos os seus quatro filhos serem benfiquistas. Até costuma desabafar que bem tentou, mas nunca conseguiu que mudassem de clube.

Os sócios da coletividade ouvem-no, ficam sensibilizados e, curiosamente, o vereador ‘lagarto’ até sobe na sua consideração: alguém que consegue produzir tantos benfiquistas não pode ser mau tipo.

Deixar uma resposta