Encontro de música antiga de Loulé “Francisco Rosado” assinala 20 anos de existência

Decorre de 30 de setembro a 28 de outubro, o XX Encontro de Música Antiga de Loulé “Francisco Rosado”. No ano em que assinala duas décadas de existência, este que é um dos maiores eventos dedicados a este género musical em todo o país dará realce a agrupamentos e intérpretes maioritariamente portugueses, que se destacam no âmbito nacional e que, de uma forma ou de outra, passaram por edições anteriores deste festival. O arranque deste Encontro, dia 30 de setembro, domingo, irá acontecer com o concerto “Celebrando o Cravo”, com a presença de quatro excecionais cravistas que interpretarão concertos de Bach a quatro (Ana Mafalda Castro, Elsa Santos, Menno Van Delft e João Paulo Janeiro), com orquestra Concerto Ibérico. Este momento musical acontece na Igreja Matriz de Loulé.

Já no dia 7 de outubro, na Igreja de S. Sebastião, em Boliqueime, e à semelhança dos anos anteriores, o Ensemble de Flautas de Loulé marca presença neste Encontro. Desta vez, o grupo far-se-á acompanhar por um convidado especial – João Costa, nas artes visuais –, e juntos contarão a lenda de Daphne e Apolo. “Interpretação visual e musical da História de Daphne e Apolo” será dirigida por Ana Figueiras, que após o falecimento do Professor Francisco Rosado, tem sido a responsável por este Ensemble.

Segue-se, dia 14 de outubro, na Igreja de Nossa Senhora da Conceição, em Quarteira, o concerto de Music’alta que nos traz belas danças europeias em instrumentos de “Alta Capela” como as sacabuxas e as charamelas. “Música de Altos Menistreis – Danças e canções da Renascença” traz-nos algumas danças e versões instrumentais de canções europeias do século XVI. No final da Idade Média e na Renascença, o termo “Menistreis” designava o conjunto de músicos instrumentistas. Constituíam um grupo de músicos profissionais que trabalhavam para o rei, nobre, igreja ou poder municipal, de uma forma mais ou menos permanente. Estes eram muitas vezes multi-instrumentistas que formavam conjuntos relativamente autónomos.

 

Segue-se, a 19 de outubro, pelas 21h30, na Igreja de Nossa Senhora da Assunção, em Querença, as celebrações de lágrimas e de luz nos ofícios de defuntos em Coimbra no século XVI “Requiem de Coimbra”, que poderemos ouvir pelo grupo Capela Sanctae Crucis (Portugal/França), um laboratório profissional de estudo e interpretação de polifonia portuguesa criado por Tiago Simas Freire em 2012. Este programa é estruturado por uma Missa de Defuntos a 4 vozes, anónima e inédita, conservada na Biblioteca de Coimbra.

Um programa bem diferente será apresentado pelo grupo Il Dolcimelo & Ensemble Portingaloise, no dia 20 de outubro, na Igreja Matriz de Loulé, em “Auto do labirinto (ou Labirinto do Amor)”, um espetáculo multidisciplinar de música, dança e dramatização. Com base num extraordinário repertório dramático quinhentista, os personagens – eleitos entre os pares amorosos – terão os seus serões de corte povoados por danças baixas e altas, revelando os seus dotes coreográficos e musicais. Não faltam os instrumentos de corte e de folia, indispensáveis para a dança ou para a serenata ao luar.

A terminar esta comemoração dos 20 anos do Encontro está um fim-de- -semana bem musical que se inicia a 26 de outubro, na Igreja de Nossa Senhora da Assunção, em Alte, com o concerto do Ensemble Contrastes, com um programa alemão dos anos de ouro do período barroco para viola da gamba, fagote e cravo – “Ecos da Solidão” (Alemanha séc. XVIII). Serão interpretadas obras a solo, duo e trio, de alguns dos compositores alemães mais consagrados e reconhecidos, bem como de alguns mestres entretanto esquecidos. Para além dos incontornáveis Carl Philip Emanuel Bach e Georg Friedrich Telemann (de quem se celebrou recentemente o 250.º aniversário da morte), fazem parte do programa obras de compositores como Johannes Schenck (1660-após 1712), Theodor Schwartzkopf (1659-1732) ou Christoph Schaffrath (1709-1763).

O último momento musical leva à Igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Almancil, no dia 27 de outubro, a flauta de bisel, através do concerto dos Flautistas de Portugal, que conta com a presença de intérpretes de flauta de destaque no panorama nacional atual e que interpretarão peças a solo e em conjunto. “Soli&Insieme: Música Antiga para solistas e consorte” apresenta Ana Figueiras, António Carrilho, Filipa Oliveira, Pedro Couto Soares e Pedro Sousa Silva. Todos os concertos têm início às 21h30. A entrada é livre.

Mantendo a tradição ao longo de 20 anos, a componente pedagógica, que tanto trouxe de enriquecimento cultural ao nível da Música Antiga na cidade de Loulé, também se destacará neste último fim-de-semana de outubro, através de um curso de Técnica de Alexander, por Pedro Couto Soares (27 outubro, das 10h00 às 13h00, no Conservatório de Música de Loulé) e uma masterclass de música de conjunto, por António Carrilho e Pedro Sousa Silva (28 outubro, das 10h00 às 13h00 e das 15h00 às 18h00, no Conservatório de Música de Loulé). No ano em que Loulé viu abrir portas a primeira escola pública de ensino especializado de Música no Sul do país, este Encontro ganha ainda maior importância.

You may also like...

Deixar uma resposta