Fotoliterando, união entre a escrita e a fotografia

Em junho de 2016, foi iniciado um ciclo de exposições que se mantém regular.

MARISA AVELINO

Uma fotografia, um texto. Um texto, uma fotografia, inúmeras histórias e outras tantas emoções que despoletam no imaginário do público envolvendo-o de tal forma que o transporta, muitas vezes, para a narrativa que se pretende contar.

Este é o mote para o Fotoliterando, um projeto da autoria de Fábio Eusébio, 31 anos, rececionista, e Helena Lourenço, 37, professora, cujo propósito é “contar histórias através da beleza das imagens” e que encerrou, em setembro passado, o seu primeiro ciclo de exposições com um balanço positivo. No portfólio destacam-se os temas alusivos à cultura, pessoas e natureza. “O feedback é muito bom. Temos tido a oportunidade de expor em diferentes pontos do país. Curiosamente, é na capital que surgem mais solicitações e no Algarve também porque somos de cá”, conta Helena Lourenço em declarações à Algarve Vivo.

O gosto de Helena pela escrita aliado à paixão do Fábio pela fotografia resultou em dezenas de trabalhos que culminaram na concretização de um projeto que combina as duas formas de arte numa perfeição quase poética. Amigos desde 2010, os mentores do Fotoliterando foram amadurecendo a ideia e, aos poucos, foram selecionando algumas fotos, fazendo a triagem daquelas através das quais Helena iria criar as respetivas histórias. O Fotoliterando tornou-se público em 2014, altura em que começaram a surgir as primeiras publicações dos trabalhos através da sua página do Facebook “porque as redes sociais acabam por ter um certo impacto na promoção e divulgação de novos projetos”, considera a cofundadora do projeto. Não demorou muito até que a qualidade dos trabalhos impusesse que se expandissem através de mostras.

“O Fotoliterando existe, essencialmente, para estar exposto. Nós consideramos, a dado momento, até pelo feedback que íamos recebendo, que os trabalhos mereciam estar em exposição”, sublinha Helena Lourenço. Assim, em junho de 2016 iniciaram um ciclo de exposições que se mantém regular. A primeira exposição teve lugar na galeria LAR do Laboratório de Atividades Criativas – LAC, em Lagos, quando o Fotoliterando já contava com um acervo de cerca de 90 textos, material em quantidade suficiente para a possibilidade da edição de um livro tendo “como principal objetivo acompanhar as exposições”. O que acabou por acontecer em dezembro desse ano.

LIVRO EDITADO

Na escolha dos trabalhos a publicar Fábio e Helena tiveram o cuidado de evitar os textos longos a fim de não haver “ruído” entre a fotografia e a escrita. A receção do livro foi boa. “Apercebemo-nos de que quem compra são as pessoas que, normalmente, vão às inaugurações das exposições. Em vez de adquirirem as fotografias acabam por ficar com muito mais do que é o nosso trabalho”, refere Helena Lourenço.

A obra já vendeu cerca de 200 exemplares e reúne imagens e textos realizados entre 2014 e 2016. No horizonte está a possibilidade de ser editado outro livro com novos trabalhos. “Com o passar do tempo, temos vindo a aperfeiçoar a nossa maneira de trabalhar em conjunto. Provavelmente, um segundo livro até teria ainda mais qualidade que o primeiro”, destaca Fábio Eusébio.

LIVRO-OBJETO

A par da primeira exposição, o Fotoliterando também lançou o Livro-Objeto, intitulado ‘Mar de Imagens, resultado de um concurso lançado pela editora Chiado em que Fábio e Helena foram os artistas selecionados a editar num formato peculiar que consiste em reunir seis fotos e textos dentro de um pequeno frasco de vidro.

Outro dos momentos altos que os autores tiveram durante o seu, ainda recente, percurso foi apresentar o Fotoliterando no Centro de Língua Portuguesa de Cáceres, em Espanha, no âmbito de promover o ensino e a aprendizagem da língua portuguesa, através de um convite feito pelo Instituto Camões do Centro de Cáceres.

Apesar de terem encerrado o ciclo de exposições de 2017, Fábio Eusébio e Helena Lourenço continuam a trabalhar na divulgação e publicação de novos trabalhos na Internet (ver caixa), mantendo a atividade de uma forma regular. No futuro pretendem “continuar a dar a conhecer o projeto de Norte a Sul”, tendo já algumas exposições agendadas para 2018.

“O próximo passo é concretizar alguns projetos que temos em mente, que ainda não queremos desvendar. Mas existem novas ideias como dar uma nova imagem ao Fotoliterando, apostando também no ‘merchandising’ alusivo à marca, remata Helena Lourenço.

Para ver o livro em https://www.chiadoeditora.com/livraria/fotoliterando e o site em http://fotoliterando13.wix.com/fotoliterando.

 

 

 

 

 

 

You may also like...

Deixar uma resposta