Jovens de Lagos debatem mobilidade e património

Realizou-se ontem, 18 de abril, no Centro Cultural de Lagos mais uma sessão ordinária da Assembleia Municipal da Juventude.

Este ‘órgão parlamentar’ criado em 2001 pela Assembleia Municipal de Lagos tem por objetivo promover a participação dos cidadãos e, em particular, dos jovens na vida da comunidade lacobrigense e nas decisões autárquicas. Desta vez, os temas em análise e debate foram a mobilidade e a valorização do património.

Constituída por jovens alunos dos dois agrupamentos escolares do concelho (Agrupamento de Escolas Júlio Dantas e Agrupamento de Escolas Gil Eanes), de modo a garantir a sua correta representatividade, o órgão reúne uma vez em cada ano letivo e participa, também, ativamente nas comemorações do 25 de Abril anualmente organizadas pelo Município local.

Os trabalhos iniciaram-se com a apresentação do vídeo promocional de Lagos recentemente produzido e com a informação escrita da presidente da Câmara acerca da atividade do Município. Dirigindo-se aos membros da Assembleia da Juventude e ao público presente, constituído na sua maioria por alunos e docentes das escolas de Lagos, Maria Joaquina Matos sublinhou o caráter pioneiro desta iniciativa, considerando-a “um projeto de afirmação e consolidação da democracia, que gradualmente tem vindo a ser adotado também em outros Municípios”.

A autarca realçou a existência de muito património no concelho e o trabalho feito em prol da sua preservação e valorização, reconhecendo que “há sempre oportunidade para se fazer mais e melhor.”

QUESTÕES PERTINENTES

Como reflexo de todo um trabalho de recolha, reflexão e análise crítica sobre o território, desenvolvido previamente com a orientação de professores, os membros das duas bancadas colocaram questões sobre a informação escrita da presidente e fizeram apresentações sobre cada um dos temas da ordem de trabalhos, propondo medidas concretas.

A maior divulgação da atividade municipal, em especial da oferta cultural, a criação de um programação de atividades para os jovens nas férias escolares, os dados estatísticos da procura e da resposta ao nível do atendimento presencial, do atendimento online e do atendimento telefónico dos serviços municipais, a petição sobre o Hospital de Lagos, o projeto de valorização da Ponta da Piedade e a prospeção de petróleo ao largo da costa alentejana, foram algumas das questões suscitadas pelos jovens, a que o executivo municipal respondeu, elucidando sobre os projetos e atividades já existentes e a implementar para melhorar cada uma destas áreas de intervenção, assim como sobre as posições de defesa e de oposição assumidas pública e respetivamente a propósito do Hospital de Lagos e da prospeção de petróleo.

Quanto à Ponta da Piedade, Joaquina Matos explicou o conceito inerente ao projeto, o enquadramento do mesmo face às exigências do Plano de Ordenamento da Orla Costeira e à sensibilidade geológica e paisagística do local, dando a conhecer o faseamento da intervenção, cuja primeira etapa está ainda em execução, “encontrando-se já a ser preparado o lançamento do projeto para a segunda fase, mais abrangente em termos de área e mais complexo, uma vez que terá de se encontrar soluções para a compatibilização das questões da preservação dos valores ambientais e naturais em presença, do trânsito de autocarros e de viaturas ligeiras, do estacionamento, da circulação pedonal, assim como uma proposta de memorial evocativo da vida e obra de Sophia de Mello Breyner Andresen, figura ímpar da literatura em língua portuguesa que tanto se encantou e inspirou com as grutas da Ponta da Piedade”, salientou a autarca.

Relativamente ao tema da mobilidade, entre as propostas apresentadas estão: a criação de maior acessibilidade às praias para pessoas com mobilidade reduzida; a instalação de meios para permitir a essas pessoas a toma de banhos de mar; a alteração/ajustamento dos circuitos e horários dos transportes públicos que servem as escolas; a criação de uma carreira que, feita por autocarro elétrico, tenha como destino as praias do concelho; a criação de uma ciclovia; e a criação de mais zonas de estacionamento de bicicletas.

Também neste campo o executivo camarário deu conta das ações já desenvolvidas em termos de mobilidade, quer relativamente ao acesso pedonal, dos transportes públicos, do acesso aos equipamentos públicos (exemplificando com as obras em curso no Museu Municipal Dr. José Formosinho que entre outros objetivos, também visam eliminar barreiras arquitetónicas) e às praias, recordando a existência do galardão Praia Acessível em zonas balneares do concelho (Meia Praia, Batata, Porto de Mós e Luz), ou seja, todas aquelas onde a topografia do terreno tem permitido a instalação de meios de apoio nesta área.

Foram ainda referidas outras zonas da cidade onde serão criadas ciclovias, nomeadamente na Via V6 (que liga a Rotunda da Barca à zona da Fonte Coberta) e a Avenida dos Descobrimentos, assim como melhorias que estão a ser feitas e preparadas quer em arruamentos urbanos, quer em estradas municipais, designadamente com o rebaixamento de passeios onde os mesmos são exíguos, a criação onde os mesmos são necessários e possíveis e a substituição da iluminação pública.

PROPOSTAS PARA TODOS OS GOSTOS

O segundo tema em debate foi a valorização do património, com muitas propostas apresentadas pelos jovens deputados, salientando-se: a sugestão de revitalização da antiga estação ferroviária de Lagos com a criação de um núcleo museológico; a recuperação e dinamização do Parque Dr. Júdice Cabral; a instalação de sinalética na cidade de Lagos; a conservação do património edificado religioso, designadamente a pintura da Igreja de Santa Maria e a pintura e abertura ao público da Igreja de São Sebastião e da sua Capela dos Ossos; a relocalização da Feira Concurso Arte Doce; a maior divulgação do Festival dos Descobrimentos; e a criação de um programa de cinema ao ar livre nos meses de Verão.

Neste contexto, os presentes foram informados que a Câmara optou por privilegiar, num primeiro momento, a conservação da Igreja de Santo António, a reabilitação e ampliação do Museu Municipal Dr. José Formosinho e a conservação e valorização das Muralhas de Lagos.

No final da sessão, foi chamada a atenção dos presentes para duas iniciativas de interesse geral e em concreto para este público-alvo, como sejam o Orçamento Participativo que desde a sua última edição já permite a participação de maiores de 16 anos, e a campanha de sensibilização contra os maus tratos Infantis que se encontra a decorrer durante abril por iniciativa, a nível local, da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, com o apoio da autarquia e de várias outras entidades.

You may also like...

Deixar uma resposta