Lagos apresenta Plano de Desenvolvimento Desportivo

O concelho de Lagos vai ter um dos melhores centros de BTT do país. Contará com oito percursos e ficará localizado na Mata de Barão de S. João. A respetiva empreitada encontra-se em fase de adjudicação pelo que, em breve, poderão iniciar-se as obras. O anúncio foi feito no decorrer da sessão de apresentação do Plano Estratégico de Desenvolvimento Desportivo, que decorreu, recentemente, no auditório dos Paços do Concelho.

O documento traça os caminhos que devem ser seguidos para se conseguir que sejam aumentados os índices de prática desportiva da população, quer federada, quer de lazer.  

Para isso há que avançar com a melhoria dos espaços desportivos e percursos pedestres existentes e criar alguns outros equipamentos. Nesta vertente, entre outras, constam medidas como a aquisição de um skate parque, a manutenção da Via Algarviana, a requalificação dos 12 polidesportivos do concelho e intervenções de manutenção e conservação dos jardins infantis.

O vice-presidente da Câmara, Hugo Pereira, referiu ser este um documento muito abrangente, cuja elaboração resultou da colaboração e participação não só dos serviços camarários, como de muitas coletividades desportivas e ainda de empresas privadas que têm equipamentos desportivos.

As reuniões e contactos que foram levados a cabo “permitiram que muitos dos agentes, que até trabalham até nas mesmas áreas, se conhecessem”, podendo daí resultar, futuramente, atividades em conjunto e diversos tipos de sinergias.

Um dos objetivos do plano é, exatamente, contribuir para um trabalho em rede, fomentando, dessa forma, “parcerias mais dinâmicas, com a criação de produtos/pacotes de oferta desportivas a custos acessíveis”, bem como a promoção de eventos que, isoladamente, a autarquia não conseguiria desenvolver.

A vertente económica e turística do desporto também está presente no plano. A Câmara de Lagos quer, juntamente com os clubes, agentes desportivos e unidades hoteleiras do concelho, levar a cabo mais iniciativas de âmbito desportivo que contribuam para o combate à sazonalidade turística.

O documento levou muito tempo a ser elaborado porque, justificou Hugo Pereira, “em vez de contratar uma empresa externa para fazer um plano como há muitos por esse país fora, preferimos desenvolvê-lo a nível interno, ouvindo todos os agentes, de forma a obter um documento que reflete a nossa realidade”.

Mas esta foi apenas a primeira fase do projeto. A segunda, que consiste na concretização do que está no papel, alertou o autarca, é “ainda mais exigente e exige o empenhamento de todos.”

 

You may also like...

Deixar uma resposta