Música, política e calor marcam arranque da FATACIL

Texto: Ana Sofia Varela

Foi um final de tarde muito quente aquele que marcou a inauguração da 40ª edição da FATACIL. Em vésperas de eleições legislativas, não faltaram políticos regionais e candidatos a deputados no primeiro dia do certame, que abriu com o discurso de Luís Encarnação, presidente da Câmara Municipal de Lagoa.

Recordou “o dia 21 de junho de 1980 como um marco para o concelho” que dificilmente será esquecido. Nesse dia realizava-se a primeira edição da Feira Regional de Lagoa, que no ano seguinte viria a tornar-se a Feira de Artesanato, Turismo, Agricultura, Comércio e Indústria de Lagoa (FATACIL).

40 edições passadas e com o futuro na perspetiva, resta verificar se esta será mesmo a melhor de sempre. Decorrerá até dia 25 de agosto, mas para já novidades não faltaram, desde o copo reutilizável à nova tenda tecnológica. Umas foram pensadas para atrair a faixa mais jovem, outras são uma preocupação ambiental.

O que é certo é que na sexta-feira, 16 de agosto, mais uma edição emblemática abriu portas com pompa e circunstância, num fim de tarde de calor. E o novo presidente da Câmara Municipal de Lagoa Luís Encarnação não esqueceu este passado, ainda que estivesse de ‘olhos postos no presente e futuro’ naquele que foi o seu primeiro discurso numa inauguração deste género.

“Vai longe na memória o dia 21 de junho de 1980, quando no então denominado Parque de Jogos Capitão Josino da Costa nasceu a primeira Feira Regional de Lagoa, rebatizada no ano seguinte com o nome de FATACIL, Feira de Artesanato, Turismo, Agricultura, Comércio e Indústria de Lagoa. Dos 11 expositores locais e dos cerca de 1500 visitantes que os arquivos de então registam, aos cerca de 800 expositores de todo o país e estrangeiro e aos mais de 180 mil visitantes que esperamos nesta 40ª edição da FATACIL, um longo caminho ficou para trás”, começou por recordar.

Em 40 anos, são mais de 20 mil expositores e mais de quatro milhões de visitantes num caminho de oportunidades e desafios, com muitos sucessos e também alguns insucessos, refere. Isto apesar do objetivo ter sido sempre promover o melhor do Algarve e do país.

Na atualidade, o certame “atravessa momentos de maior fulgor”, garante o presidente. A nomeação e a conquista de prémios como o ‘Iberian Festival Awards’ ou o ‘Prémio Cinco Estrelas Regiões’ são uma das provas.

Recorda ainda aqueles que, desde 1980, presidiram ao executivo municipal de Lagoa e ajudaram a feira a crescer, como foi o caso de Abel Santos, Jacinto Correia, Joaquim Piscarreta Rego, José Inácio e Francisco Martins.

Além destes, num discurso marcado pelas recordações, enaltece os patrocinadores, os trabalhadores, os 20 mil expositores e mais de quatro milhões de visitantes que passaram pela FATACIL durante quatro décadas.

Destes destaca-se a parceria na organização da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve e o retomar da ligação da Comissão Vitivinícola do Algarve ao evento.

Ministro ‘em campanha’

Convidado a inaugurar a 40ª edição da Feira de Artesanato, Turismo, Agricultura, Comércio e Indústria de Lagoa (FATACIL), na sexta-feira, dia 16 de agosto, o ministro da Agricultura Luís Capoulas Santos diz ter sido uma honra voltar ao evento, que costuma seguir pela comunicação social.

“Representa uma mostra do dinamismo de um concelho e de uma região, onde se concentram várias atividades económicas e onde a agricultura, que esteve na sua génese, continua a ter um papel importante. Aliás, não é por acaso que a agricultura, a par do turismo, são os setores da economia que mais crescem e sustentadamente cresceram e que mais resistiram durante a crise”, afirma.

Em jeito de balanço, Luís Capoulas Santos recorda que os cidadãos readquiriram confiança, com a economia a voltar a crescer, o que, em consequência, permitiu acabar “com cortes nos salários e pensões, melhorando o rendimento das pessoas”, defende.

“No que diz respeito ao setor que tutelo, é com particular satisfação que a agricultura está a crescer acima do resto da economia e tem aumentado sustentadamente as exportações. No caso do Algarve, a laranja bateu este ano recordes de exportação, algo que já tinha acontecido com o vinho, ultrapassando a barreira dos 800 milhões de euros, e com as frutas e hortícolas, atingindo, pela primeira vez, os 1500 milhões de euros. No azeite, por exemplo, que dependia das importações, o país passou a ser largamente exportador, com mais de 550 milhões de euros de exportações”, enumerou.

Ou seja, longe vão os tempos, na perspetiva do ministro em que a profissão de agricultor não era prestigiante, pois hoje existe muito conhecimento, capacidade empresarial e tecnologia. “Não é por acaso que alguém dizia no outro dia que há hoje mais tecnologia num tomate do que num Ferrari”, revela Luís Capoulas Santos.

Para o governante, a “FATACIL é, um pouco à escala algarvia, a confirmação” dos números apresentados, pois “é um certame que se afirma cada vez mais, com mais expositores e uma mostra mais diversificada, num clima de confiança e num clima de atração de visitantes que são cada vez em maior número”, conclui.

Desfile de personalidades

Os candidatos do Partido Socialista (PS) às eleições legislativas marcadas para 6 de outubro estiveram em peso na Feira de Artesanato, Turismo, Agricultura, Comércio e Indústria de Lagoa (FATACIL), na inauguração, na sexta-feira, 16 de abril. Logo à partida, Jamila Madeira, cabeça de lista pelo PS no círculo de Faro, subiu ao pequeno palco, enquanto decorria o discurso de Luís Encarnação, presidente da Câmara Municipal de Lagoa. Isto além do ministro da Agricultura Luís Capoulas Santos e do secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural Miguel Freitas que são militantes do mesmo partido.

Ainda estiveram em palco o presidente da Assembleia Municipal de Lagoa Águas da Cruz, bem como os vereadores socialistas Jorge Pardal, Anabela Simão e Ana Martins. Na comitiva que acompanhava a inauguração, na sexta-feira estiveram ainda os restantes candidatos do PS, como foi o caso de Jorge Botelho, até à data presidente da Câmara Municipal de Tavira e também da Comunidade Intermunicipal do Algarve, bem como Joaquina Matos, presidente da Câmara Municipal de Lagos, autarcas que integram a lista socialista.

Luís Graça, presidente da Federação do PS Algarve, José Apolinário, atual secretário de Estado das Pescas e número dois na lista do PS, Ana Passos, em sexto, foram outras das personalidades que não quiseram faltar à FATACIL.

Seguiam ainda vários responsáveis algarvios, como João Fernandes, presidente da Região de Turismo do Algarve, Vítor Neto, da associação empresarial NERA, Custódio Moreno, diretor regional do Instituto Português do Desporto e Juventude, Pedro Valadas, diretor regional da Agricultura e Pescas do Algarve, Joaquim Castelão Rodrigues, diretor regional do Instituto da Conservação da Natureza e Florestas, José Vitorino, presidente da associação AlgFuturo, José Gonçalves, presidente da Câmara Municipal de Aljezur, e Carlos Saúde, presidente da delegação regional da Associação de Freguesias e os presidentes de Junta de Freguesia no concelho de Lagoa. Estiveram ainda na FATACIL os vereadores eleitos pelo Partido Social Democrata (PSD) José Inácio e Mário Vieira.

Outras das ilustres personalidades convidadas para esta efeméride foi o General Rocha Vieira, um “ilustre lagoense”, conforme descreve Luís Encarnação na primeira FATACIL enquanto presidente da autarquia.

Única mostra-se ao público

A Única, Adega Cooperativa de Lagoa, não quis deixar passar a oportunidade de apresentar o que de melhor faz a nível de vinhos.

Ao Lagoa Informa, Maria Alice Saraiva, presidente da direção desta entidade desde final de 2017, revela que a expetativa na FATACIL é mostrar os produtos, mais do que a oportunidade comercial.

“Queremos mostrar aos cidadãos de Lagoa, do Algarve e de Portugal que a Única, enquanto adega cooperativa, continua a existir, a afirmar-se e a revitalizar-se”, assegura. Num mercado onde a concorrência é grande, a responsável acredita que este é um negócio com potencialidade e vê com bons olhos esta expansão. “Na verdade, muitos dos atuais concorrentes nasceram na Única e sabem o que fazem”, afirma.

Com quase 70 anos, que serão assinalados em 2021, a Única continua a ter “atualidade, porque a noção de pequeno produtor continuará sempre a existir e, por outro lado, a necessidade de dimensão para introduzir o produto no mercado, que é a parte mais difícil, é necessária”. E o facto é que a única cooperativa no Algarve, depois do fecho da de Tavira e da de Portimão, e a fusão de Lagos com Lagoa, em 1980, dá resposta a essa necessidade e procura do pequeno produtor.

Há uma vantagem que a Única tem, que é a Denominação de Origem Protegida (DOP), porque tendo produtores de toda a região tem a possibilidade de vinhos com esta certificação. Tanto que, este ano ainda, a cooperativa lançará o ‘Lagoa Reserva Signature’, uma monocasta de negra mole, que é tradicional do Algarve. “É uma casta fantástica, não só em termos organolépticos, mas também pelo seu aspeto. Vai desde os bagos de tinto, aos brancos, passando pelos rosáceos e é uma casta com uma característica fantástica, além de ser autóctone”. O vinho já esta engarrafado e só faltam mesmo os selos para poder ser comercializado.

Equestre com estreias

Os espetáculos equestres têm sido uma das marcas da FATACIL, tanto que está prevista uma grande intervenção no Parque Municipal de Feiras de Lagoa, onde um novo picadeiro dará mais condições ao setor equestre. Esta modalidade tem sido ainda uma das marcas desta feira com 40 edições. As bancadas do picadeiro voltaram a encher-se de milhares de admiradores para assistir aos vários espetáculos.

Um dos destaques foi a abertura que apresentou naquele espaço uma criação coletiva alusiva a ‘Lagoa, cidade inclusiva’. Nesta quarta-feira, dia 21, estrou o espetáculo equestre ‘Cavalgarve’, com a mostra inédita no país de ‘Paco Martos Horse Show’, onde participaram também artistas portugueses. Quem não teve oportunidade de ver, terá nova hipótese com a repetição que está marcada para os dias 24 e 25 de agosto.

Esta quinta-feira, dia 22, haverá ainda uma ‘Noite Ibérica’, com Alvaro Tebas, atual campeão de Espanha de Doma Vaquera, Miguel Fonseca, campeão de Portugal de Equitação de Trabalho e Manuel Veiga, campeão de Portugal de Dressage, acompanhados de guitarra portuguesa e de flamenco.

90 mil até terça

Até à passada terça-feira, 20 de agosto, tinham passado pela FATACIL cerca de 90 mil pessoas, segundo dados da organização. Números muito positivos, que apontam para uma feira ao nível das melhores e com o recorde de 180 mil – registado em 2018 – perto de ser ultrapassado.

Wet Bed Gang a ‘partir’
A surpresa destes dias foi a atuação dos Wet Bed Gang, o concerto mais concorrido até agora, num dia (domingo) em que a feira contou com 26 mil pessoas.

A noite de 18 de agosto contou com segurança policial reforçada, na sequência do espetáculo dos Wet Bed Gang. Ciente da irreverência da banda em palco, por vezes excessiva, a GNR marcou presença ativa no recinto. O concerto foi intenso e ficará para a história como um dos mais concorridos da edição deste ano e que mais jovens atraiu.

Campeões do Rali dão autógrafos

Os pilotos Ricardo Teodósio e José Teixeira, em Skoda Fábia R5, atuais líderes do Campeonato de Portugal de Ralis (CPR 2019), estarão presentes na FATACIL para uma sessão de autógrafos no próximo fim de semana, a 24 e 25 de agosto, entre as 19h30 e as 20h30.

O carro em que competem está em exposição durante toda a feira. Assim, os amantes do desporto de velocidade automóvel terão oportunidade de conviver de perto com dois dos melhores pilotos nacionais que disputam o campeonato em terras algarvias, no sempre carismático Rallye Casinos do Algarve, que costuma decorrer em novembro, e que terá ‘quartel general’ sediado no concelho de Lagoa.

Mariza e Richie Campbell com ‘casa cheia’ no fim-de-semana
Ainda faltam quatro dias para a Feira de Artesanato, Turismo, Agricultura, Comércio e Indústria de Lagoa (FATACIL) encerrar, logo são ainda quatro os artistas que subirão ao palco principal para atrair muitos visitantes. Quatro nomes que representam um público distinto.

Assim, esta noite, 22 de agosto, é a vez de Blaya que entoará, por exemplo, ‘Faz Gostoso’, um dos seus maiores êxitos. Esta sexta-feira, dia 23 de agosto, será a vez de Jorge Palma, ficando a noite de sábado, dia 24 reservada à fadista Mariza, num concerto que se fará acompanhada pela Orquestra Clássica do Sul, e que promete ser uma das grandes enchentes do recinto.

Richie Campbell, no dia 25, encerra a 40ª edição da FATACIL também num concerto apelativo às camadas mais jovens. Isto depois de uma primeira noite, na passada sexta-feira em que Xutos & Pontapés estiveram a tocar até muito depois do previsto, devido à requisição do público em ouvir alguns dos temas mais emblemáticos. A banda comemorou, tal como a feira, 40 anos de existência.

Autarquia homenageou a ‘voz’da FATACIL

A Câmara Municipal de Lagoa realizou um sentido reconhecimento a Maria João Calapez, que durante muitas edições da Feira de Artesanato, Turismo, Agricultura, Comércio e Indústria de Lagoa (FATACIL) deu ‘voz’ a este certame. Com uma largada de balões, às 21h00, no primeiro dia de feira, a organização homenageou, assim, a profissional que faleceu no final do ano passado, de forma inesperada.

O local escolhido foi em frente à cabine de som, onde durante tantos dias e horas a locutora esteve, edição após edição. “Maria João, sabemos que o teu amigo José Salvador dará bem ‘conta do recado’, mas para nós serás eternamente recordada como a voz da FATACIL”, afirmou com emoção Luís Encarnação, presidente da Câmara Municipal de Lagoa.

António Costa visita feira

O primeiro-ministro António Costa, que se tem dividido entre Lisboa e Carvoeiro, onde tem casa e passa férias, estará na FATACIL esta sexta-feira, 23 de agosto. Depois de uma crise provocada pela greve dos motoristas, o secretário-geral do Partido Socialista, que já tinha prometido que não iria faltar ao certame, o maior do género a sul do Tejo e que mobiliza milhares de pessoas, durante dez dias, aproveitará mais alguns dias de férias no sul.

A escassas semanas das eleições legislativas, marcadas para 6 de outubro, o responsável socialista visitará o recinto, na noite em que Jorge Palma atua e no dia em que o tema são os vinhos do Algarve.

Terras do Infante é parceiro

A feira começou por ter, em 2017, um parceiro institucional oficial, numa lógica de rotatividade. Nesse ano, o escolhido foi o Instituto Português do Desporto e Juventude, ao passo que, em 2018, foi a vez da Universidade do Algarve. Nesta edição ganha destaque a associação de municípios Terras do Infante.

Peso da Régua também está em Lagoa

A Cidade do Vinho 2019, Peso da Régua, é o concelho convidado para se mostrar na FATACIL, tal como a Associação de Municípios Portugueses do Vinho.

“É com satisfação que, ano após ano, registamos o aumento dos expositores do setor oriundos de outras regiões do país”, naquele que é “um território vinhateiro com mais de 2 mil anos de produção vitivinícola”, sublinha Luís Encarnação, presidente da Câmara Municipal de Lagoa.

Ministro deseja sucesso

Luís Capoulas Santos, ministro da Agricultura, antes da rápida volta pelo recinto, desejou felicidade e sucesso ao novo presidente da Câmara Municipal de Lagoa Luís Encarnação, que assumiu funções no início deste mês. Alguns dos expositores também o felicitaram, durante a já tradicional volta ao recinto.

You may also like...

Deixar uma resposta