Plataforma informática monitoriza e melhora cuidados prestados a 300 idosos de Portimão

IMG_1372

Visando a monitorização atempada e permanente de todos os serviços e a constante melhoria nos cuidados prestados aos seus 300 utentes, tendo em vista a “excelência nas práticas”, a direção do Centro de Apoios de Portimão decidiu implementar internamente um moderno e específico software de gestão integrada que permite, entre muitas outras funções, dotar os técnicos da instituição de instrumentos de análise e de consequente resposta às ocorrências constatadas.

A plataforma prevê o registo de todas as atividades diárias dos utentes e a sua interação com os funcionários da instituição no âmbito de cuidados de higiene, saúde, imagem, alimentação, diligências, animação, ausências, lavandaria, tempos de prestação de serviços e de deslocação entre utentes, dos bens a faturar e oferecidos e dos artigos consumidos.
O aumento de 31,6 por cento verificado nas pessoas com 65 ou mais anos de idade em Portimão (em Lagoa o aumento foi de 27,49 e em Lagos de 27,86) entre os censos de 2001 e 2011, traduz-se, segundo Figueiredo Santos, presidente daquele órgão, “numa crescente responsabilidade para a instituição, que deve estar preparada para os inúmeros desafios que se lhe apresentam e para os quais é frequentemente instada pelas entidades responsáveis pelas políticas de apoio à terceira idade”.

O respeito e atenção que merece a pessoa idosa, suscitam, na opinião do dirigente, “uma permanente procura de soluções que otimizem os cuidados prestados”. A implementação do moderno software, que custou cerca de 30 mil euros, “dá-nos, por isso, uma perspetiva de toda a instituição, permitindo uma gestão e planeamento estratégicos” – referiu.
O Centro de Apoio a Idosos é uma instituição particular de solidariedade social criada em dezembro de 1974, substituindo o Asilo da Mendicidade que existia desde 1932. Tem um orçamento para este ano de cerca de quatro milhões de euros e cuida daqueles 300 utentes nos lares da Raminha (103), Diogo Gonçalves (60), Vila Avó (34), Centro de Dia S. Camilo de Lélis (51) e pelo apoio domiciliário (33), bem como no lar para crianças Catraia (19).

Lidar com estas pessoas, fragilizadas emocional e fisicamente, “exige, por outro lado, uma atenção e cuidados especiais”, revelou, por seu turno, Sónia Fazenda, uma das diretoras técnicas da instituição, para quem a nova ferramenta informática “substituindo o papel, tornando-se por isso prática, constitui para além do mais um instrumento importante e rápido para ajudar a melhorar procedimentos no sentido de uma maior humanização nos cuidados prestados”.

A nova plataforma proporciona assim o lançamento de todos e quaisquer cuidados prestados aos utentes pelos funcionários da instituição, que dispõem para o efeito de terminais de ligação ao sistema. “Desde, por exemplo, a simples mudança de uma fralda, ao tempo que levam as prestadoras de cuidados a falar e a tratar duma utente, tudo é lançado no sistema”, ressalvou a técnica. O conhecimento atempado das ocorrências devidamente registadas permitem, por outro lado, que “se possa corrigir imediatamente qualquer situação”, explicou Sónia Fazenda.

“Na instituição lida-se com pessoas, carentes, e esse facto obriga-nos a uma atenção e cuidados redobrados, porque a ter de haver uma ação corretora ou moralizadora é na hora. A pessoa idosa e a criança não podem esperar, sob pena de surgirem outros problemas porventura maiores” – disse a responsável, acentuando que “a nova ferramenta informática é uma ajuda importante na concretização dos objetivos estratégicos da instituição”.

You may also like...

Deixar uma resposta