Regionalização, turismo e saúde em debate nas Jornadas do Arade

PA280186

A primeira edição das Jornadas do Arade realiza-se neste fim-de-semana de 12 e 13 de março no Museu Municipal de Portimão, que será o cenário da discussão sobre o presente e o futuro da bacia do rio que une os concelhos de Silves, Monchique, Lagoa e Portimão.

O programa visa suscitar a troca de ideias sobre temas determinantes para o destino dos quatro municípios e abre com alguns cursos pré-Jornadas. Às 17h00 de sábado, o próprio rio Arade servirá de mote à conferência proferida por José Gameiro, diretor científico do Museu Municipal de Portimão.

A iniciativa antecede a primeira sessão de controvérsia, na qual o tema “Regionalização – uma oportunidade de desenvolvimento para o Algarve?” será abordado por Jorge Botelho, presidente da Câmara Municipal de Tavira e da Associação de Municípios do Algarve, e por António Covas, professor catedrático da Faculdade de Economia da Universidade do Algarve.

Os dois preletores irão avançar com respostas à questão, tão pertinente num momento em que se volta a ponderar uma reforma da estrutura administrativa do território português.

Depois da conversa, segue-se a apresentação oficial da edição de 2016 da Rota do Petisco, por volta das 20h00, acompanhada de um cocktail da responsabilidade da Escola de Hotelaria e Turismo de Portimão.

À noite, será dado lugar à reedição de uma Teia D’Ideias que ficou na memória de participantes da altura, quando em 2014, a Teia D’Impulsos, associação que promove estas Jornadas do Arade, convidou os presidentes dos quatro municípios da bacia do rio (Portimão, Monchique, Silves e Lagoa) para falarem sobre os projetos para os respetivos mandatos, então ainda a começar. Passados cerca de dois anos, voltarão a estar reunidos à mesma mesa para um ponto de situação sobre o que já foi feito, os planos para o futuro e a cooperação mútua em prol da concertação de respostas aos desafios atuais.

No domingo, os trabalhos começam às 9h00 com uma mesa-redonda dedicada a projetos inovadores e experiências bem-sucedidas na divulgação e promoção do património cultural e histórico da bacia do Arade. Pelas 10h30, começa nova sessão de controvérsia, sob o mote “Centro Hospitalar do Algarve: tempo para reflexão”, na qual as perspetivas dos profissionais da saúde e dos utentes, bem como a análise económica da situação, terão voz através das posições do médico Martins dos Santos (Unidade Hospitalar de Faro do CHA), do deputado João Vasconcelos (Bloco de Esquerda) e do professor Luís Coelho (Faculdade de Economia da Universidade do Algarve).

Aberto à comunidade e à academia, o programa das Jornadas do Arade também dará lugar à apresentação de comunicações livres, sob o formato de posters. O apelo foi lançado e a resposta foi positiva, tendo sido selecionados vários trabalhos a apresentar em duas sessões, uma às 11h30 e outra às 17h00.

Pelas 12h00, serão conhecidas diferentes soluções empreendedoras no debate “Do Turismo Gastronómico ao Turismo de Natureza, passando pelo Etnoturismo e pelo Turismo de Saúde”, um painel que evidenciará como a região algarvia tem muito mais para oferecer além do tradicional sol e praia.

A tarde de domingo começará com uma reflexão sobre a idade da reforma, através da mesa-redonda “Como continuar a ter uma vida ativa e plena de sentido”, marcada para as 14h30, com o lançamento de algumas soluções.

O programa continua com a última controvérsia das I Jornadas do Arade e em que o tema é “Turismo de Golfe”, para análise dos prós e contras de um segmento emergente com potencialidades de contribuir para a atenuação da sazonalidade de que a indústria turística do Algarve padece. A lançar a discussão, Elidério Viegas, presidente da Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve, e Gonçalo Gomes, presidente da Secção Regional do Algarve da Associação Portuguesa dos Arquitetos Paisagistas.

A última mesa-redonda começa pelas 17h30 e regressará ao ponto de partida – o rio Arade-, ao propor uma nova perspetiva: mais do que um canal fluvial, uma barreira física entre margens, uma via entre o litoral e o barrocal, deverá ser encarado como um eixo do desenvolvimento económico regional.

A inscrição nas Jornadas é gratuita e encontra-se aberta no website do evento, em jornadasdoarade.pt, onde estão todas as informações sobre o evento, organizado pela Teia D’Impulsos – Associação Social, Cultural e Desportiva.

You may also like...

Deixar uma resposta