Venda de vinhos algarvios continua a crescer

Foram 85 os rótulos a sufrágio na 11ª edição do Concurso de Vinhos do Algarve, tendo os 20 elementos do júri, formados por membros da Associação de Escanções de Portugal, destacado a excelente qualidade das candidaturas, 27 das quais foram medalhadas.

Em paralelo, decorreu o 2º Simpósio Vitivinícola com nteração e debate entre os muitos produtores e técnicos do setor presentes. O certame, organizado pela CVA – Comissão Vitivinícola do Algarve em parceria com o Município de Silves e com a coordenação técnica da Associação dos Escanções de Portugal, decorreu a 7 de maio em Silves e o júri não teve tarefa fácil devido a qualidade dos vinhos apresentados.

A comprová-lo, à semelhança do ano passado, o júri não atribuiu qualquer medalha de bronze, devido à média de pontuação ter sido superior a 84 pontos. Assim, apenas medalhas de prata e ouro foram distribuídas, tendo sido atribuído o título de Melhor Vinho do Algarve, em concurso, e com a grande medalha de ouro, à Quinta dos Vales com o seu Marquês dos Vales Grace Vineyard, tinto 2012. Este o produtor destacou-se no geral, tendo arrecadado seis medalhas das 27 distribuídas.

O sistema de classificação pontua os vinhos independentemente de serem brancos, rosés ou tintos e no global dos restantes 26 medalhados a repartição ficou em 12 medalhas de prata, das quais sete foram para tintos, quatro para brancos e uma para rosés. Nas medalhas de ouro, das 14 atribuídas, dez foram para tintos, duas para brancos e duas para rosés.

Tanto o presidente da Associação dos Escanções de Portugal, José Carlos Santanita, como o delegado regional e presidente do júri, Paulo Monteiro, destacaram a “excelente qualidade dos vinhos levados a concurso, confirmada pela pontuação média elevada obtida”. Outro dos aspetos enaltecidos por ambos foi o “cuidado visual da imagem dos vinhos algarvios, com rótulos apelativos e sugestivos, demonstrando um interesse e investimento do setor na comercialização.”

Quanto ao 2º Simpósio Vitivinícola do Algarve, teve um painel alargado de apresentações e oradores, que abordaram temas diversos e atuais, como o enoturismo, a comercialização e a promoção dos vinhos, tanto em plataformas digitais, como através de formatos mais tradicionais como as confrarias, ou as visitas e experiências ‘in loco’.

O debate e a participação dos vários agentes económicos envolvidos foram dinâmicos e interventivos, sobretudo na análise dos números apresentados pela diretora do Departamento de Estudos e Apoio à Internacionalização do IVV – Instituto da Vinha e do Vinho, Maria João Dias, relativos aos dados nacionais de janeiro a março deste ano, mostrando o Algarve a crescer, em vendas, quase 50 por cento na distribuição e restauração, e perto de 22 por cento em litros, isto face ao período homólogo de 2017.

No cômputo nacional, e para o mesmo período, houve um decréscimo na compra de vinhos (-0,4 por cento) apesar de os vinhos certificados apresentarem um acréscimo em volume de 6,9 por cento.

You may also like...

Deixar uma resposta