Conto algarvio sensibiliza para proteção da biodiversidade na praia

‘A Irmandade da Rocha’, além de ser um conto infantojuvenil da autora algarvia Analita Santos, é também uma forma de transmitir a importância da preservação do ambiente aos mais novos. As personagens são Camila, uma menina que monta guarda às poças de maré, e diversos pequenos animais, como a estrela do mar, o camarão, o ouriço do mar.

“Apesar das poucas páginas, é um livro grande pelo conteúdo e pela quantidade de pessoas que apoiaram”, permitindo que se tornasse uma realidade, explicou a autora no lançamento em Lagoa.

“No ano passado, escrevi este livro, porque queria deixar uma mensagem às minhas filhas. Temos que insistir e persistir. Este é um livro de educação ambiental e nada melhor do que começar pelas crianças, porque serão os adultos de amanhã”, justificou Analita Santos, que admite ser a Camila. Até porque a história do livro remonta às suas lembranças de infância passada na Praia do Vau, no concelho de Portimão.

A intenção será publicar uma trilogia, com temáticas diferentes, mas que se cruzam e dão continuidade à mensagem da ‘Irmandade da Rocha’. “Terão a participação de Filipe Bally, biólogo e técnico na Câmara Municipal de Portimão, que continuará com as dicas para exploradores, dando credibilidade e uma fundamentação mais científica à ficção”, afirmou a autora. Na próxima sequela, algumas das personagens como a estrela do mar Daniela e o ouriço do mar Gaspar, aventuram-se pelo oceano a dentro e deparam-se com outra das problemáticas da atualidade: as enormes quantidades de plástico e lixo marinho existentes.

Esta é também uma das primeiras obras lançadas pela editora Emporium, que surgiu no mercado há um ano e que aposta no rigor do “trabalho desenvolvido, na dedicação aos autores com quem colabora e na qualidade dos livros”, esclareceu Sónia Reis, responsável desta empresa.

Já a ilustradora Marta Jacinto, mais conhecida por Martolita, natural de São Bartolomeu de Messines, mostrou-se satisfeita com o resultado final. “O livro tem uma boa paginação, as cores ficaram muito bem conseguidas”, o que resultou num bom produto final, afirmou.

A publicação do livro contou ainda com o apoio da Câmara Municipal de Lagoa, enquanto ‘Lagoa Cidade Educadora’, tendo sido um dos projetos desenvolvidos nesse âmbito. Contou ainda com o auxílio da psicóloga Fátima Poucochinho, bem como da Câmara Municipal de Portimão e da Biblioteca Municipal Manuel Teixeira Gomes, que convidou Analita Santos para participar em sessões de leitura para um total de mil crianças.

Para Ana Martins, vereadora da Câmara Municipal de Lagoa, que participou na sessão de lançamento na Biblioteca deste concelho, este “é um tema que deve preocupar muito”, considerando que “os livros mudam as pessoas e as pessoas mudam o mundo”, daí a sua importância.

You may also like...

Deixe uma resposta