Independente José Carlos Barros como cabeça de lista da coligação PSD/CDS pelo Algarve provoca surpresas

850947

O presidente da Câmara Municipal de Castro Marim, Francisco Amaral, responsável pela Comissão Política Concelhia de Alcoutim do PSD, não esconde o seu “forte entusiasmo” na aposta do partido em José Carlos Barros, poeta, escritor, empresário, arquiteto paisagista, ex-diretor do Parque Natural da Ria Formosa e atual presidente da Assembleia Municipal de Vila Real de Santo António, entre outros cargos. “É um algarvio de gema, com muito valor, independente e idóneo, o que é bastante importante. Trata-se de uma figura que gera consensos, não é radical. Não está conotado ao nível partidário, não veio das ‘jotas’, como candidatos de outros partidos. E não é preocupante não ser militante do PSD; o que interessa é termos um bom cabeça de lista, como é o caso”, sublinhou, em declarações a Algarve Vivo, o autarca e médico. Já para outros sociais-democratas, trata-se de “uma pessoa pouco conhecida e que pouco ou nada diz à maioria da população” desta região.

José Manuel Oliveira

Após várias semanas de expectativa e ansiedade entre sociais-democratas no Algarve em torno da figura para encabeçar a lista de candidatos a deputados da coligação PSD/CDS pelo Círculo Eleitoral de Faro nas eleições legislativas a 4 de Outubro (ao ponto de, há dias, até ter sido alvitrada a ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz), o “segredo da direção nacional” ‘laranja’, como já era encarado, num sentimento de indignação entre militantes, foi finalmente desvendado hoje por Passos Coelho, com o anúncio do nome de José Carlos Barros, na qualidade de independente.

Com 52 anos de idade, natural de Boticas e há muito tempo radicado no Algarve, José Carlos Barros, poeta e escritor, autor de várias obras, sendo vencedor, entre outros, do Prémio Literário Fernão de Magalhães Gonçalves e do Prémio Nacional Sebastião da Gama, é arquiteto paisagista pela Universidade de Évora, empresário do sector de agroturismo e desempenha neste momento o cargo de presidente da Assembleia Municipal de Vila Real de Santo António, após ter sido, de 2005 a 2013, vice-presidente do executivo camarário, sob a liderança de Luís Gomes. Entre outras funções na administração pública, José Carlos Barros, residente em Vila Nova de Cacela, naquele concelho, já foi diretor regional do Ambiental do Algarve, do Parque Natural da Ria Formosa e da Reserva Natural de Castro Marim.

A indicação do independente José Carlos Barros como cabeça de lista dos candidatos a deputados da coligação PSD/CDS pelo Círculo Eleitoral de Faro provocou surpresas e, em termos gerais, pouco entusiasmo entre sociais-democratas no Algarve. Apesar de tudo, consideram, sob a anonimato, a Algarve Vivo ser “preferível uma pessoa residente no Algarve, com ligações a esta região, do que alguém vindo de Lisboa imposto pelo partido”. “Não estava à espera da indicação desta figura…”, limitou-se a reagir outro social-democrata. “É uma pessoa pouco conhecida e que pouco ou nada diz à maioria da população do Algarve”, observou um outro elemento.~

Já o presidente da Câmara Municipal de Castro Marim, o médico Francisco Amaral, responsável pela Comissão Política Concelhia de Alcoutim do PSD e membro da Assembleia Distrital não esconde o seu forte entusiasmo na aposta do partido em José Carlos Barros. “Estou muito satisfeito, pois finalmente o PSD aposta como primeiro da lista como candidato a deputado pelo Algarve numa figura que já desempenhou vários cargos nesta região. É um algarvio de gema, com muito valor, independente e idóneo, o que é bastante importante. Trata-se de uma figura que gera consensos, não é radical. Não está conotado ao nível partidário, não veio das jotas, como candidatos de outros partidos. E não é preocupante não ser militante do PSD; o que interessa é termos um bom cabeça de lista, como é o caso”, sublinhou, em declarações a Algarve Vivo, Francisco Amaral.

Representante do CDS em terceiro lugar na lista poderá ser uma mulher

Numa altura em que a lista da coligação PSD/CDS deverá ficar aprovada na próxima quinta-feira, 30 de julho, as últimas informações, segundo apurou Algarve Vivo, apontam para que o terceiro lugar, reservado ao partido de Paulo Portas, venha a ser ocupado por uma mulher.

Isto, depois de durante várias semanas ter surgido o nome de José Pedro Caçorino, vereador da Câmara Municipal de Portimão, como provável candidato do CDS, a que se seguiu, mais recentemente, a indicação da aprovação em assembleia distrital do partido da figura de Francisco Paulino, vice-presidente da Comissão Política Distrital de Faro do CDS e atual delegado do INATEL no Algarve.

 

You may also like...

Deixe uma resposta