Novo polo tecnológico junto ao Autódromo tem luz verde

O Algarve vai ter um novo polo tecnológico dedicado às energias renováveis, junto ao Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão, ao abrigo de um investimento de 7,2 milhões de euros, com um apoio de 4 milhões de fundos europeus do Programa Operacional do Algarve – CRESC ALGARVE 2020, o que corresponde a uma taxa de cofinanciamento de 55%, efetuado com verbas do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), geridas na região.

Na apresentação do projeto, o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve, José Apolinário, salientando o regresso e reforço da presença da Universidade no Barlavento, destacou ser esta nova infraestrutura permite “aproveitar o trator do turismo para a diversificação económica”, contribuindo para a coesão territorial e criação de emprego qualificado mas, também sublinhando o facto deste polo de inovação se situar-se numa área de baixa densidade, “focado na transição climática, na mobilidade sustentável e na diversificação económica, demonstrativo da nossa visão regional 2030”.

Paulo Pinheiro, administrador da Parkalgar, em nome da associação ‘Celerator’, afirmou que o projeto vai fazer com que os “caminhos futuros para a mobilidade e sustentabilidade passem por Portimão”, contribuindo para que o Algarve ganhe “competitividade na área da engenharia e das novas tecnologias”, complementando as atividades já desenvolvidas no Autódromo Internacional do Algarve e aumentando a oferta de trabalho nas áreas das engenharias.

Na mesma sintonia, Paulo Águas, reitor da Universidade do Algarve, defendeu que a criação do novo polo “faz parte da missão da universidade”, instituição que “só tem a beneficiar com uma Região que tenha “uma economia mais diversificada e possa gerar trabalho mais qualificado”.

Destacando o papel determinante das entidades que constituíram a associação, Isilda Gomes, presidente da Câmara de Portimão, destacou o papel de Paulo Pinheiro, e enfatizou o âmbito regional da infraestrutura e a sua dimensão internacional, afirmando que “o que é bom para Portimão, para Lagos ou Lagoa, é bom para o Algarve todo”.

Na sua intervenção, António Miguel Pina, presidente da Câmara de Olhão e da Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), recordou que os autarcas algarvios consideraram este Polo Tecnológico como o terceiro investimento mais importante para a região, logo depois do Porto de Portimão (segundo) e do Hospital Central (primeiro), expressando bem que este “não é só um projeto de Portimão, é da região”.

O Polo Tecnológico no setor dos Transportes, Mobilidade e Soluções Energéticas pretende dedicar-se à investigação, desenvolvimento e implementação de soluções energéticas à base de hidrogénio verde e de combustíveis sintéticos, incluindo a construção de instalações, laboratórios e centros de ensaios, estando prevista a disponibilização de instalações de bancos de ensaio para motores de combustão interna com e sem sistemas híbridos de energia acoplados. Paralelamente, está prevista a instalação de módulos para investigação de processo de criação e implementação de pilhas de combustível em meios de transporte convencionais, assim como a instalação de unidades para a reciclagem, com reutilização maximizada de baterias elétricas automóvel, em fim de vida. Este projeto inclui ainda a instalação de uma unidade de investigação e desenvolvimento com componente de comparação com unidade convencional, para motores Térmicos “Otto”, usando combustíveis sintéticos, para usos diversificados.

Segundo os promotores do projeto, a investigação e desenvolvimento de soluções e tecnologias nestas áreas será desenvolvida em parceria pelos sistemas empresarial, científico e tecnológico. Na génese desta infraestrutura tecnológica está também a criação de soluções tecnológicas que serão desenvolvidas e colocadas no mercado, contribuindo para cumprir os compromissos de neutralidade carbónica assumidos por Portugal e pela União Europeia.

Nas intervenções finais, a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, e a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, sublinharam o potencial deste investimento em termos nacionais, complementando a política de eventos apoiados na época baixa e diversificando a base económica.

Ana Abrunhosa destacou que este é o único polo tecnológico do país onde existe um “laboratório vivo”, que congrega uma pista para corridas automóveis e um laboratório no setor dos transportes, mobilidade e soluções energéticas. “Neste polo tecnológico já temos a última fase de muitos projetos, aqui já temos a atividade económica e os futuros parceiros que vão beneficiar da inovação e das novas soluções deste polo tecnológico”, sublinhou.

You may also like...

Deixe uma resposta