Portimão antecipa ativação do Destacamento Sazonal da Senhora de Verde para os incêndios

No momento em que se vive a pandemia da Covid-19, a Proteção Civil Municipal de Portimão põe em marcha o plano operacional aprovado no passado mês de abril pela Comissão Municipal de Defesa da Floresta, e que institui a estratégia de resposta local nesta importante frente de trabalho da prevenção e combate aos incêndios rurais. 

Uma das medidas excecionais previstas para o presente ano foi a antecipação do início de funcionamento do Destacamento Sazonal da Senhora do Verde, na Mexilhoeira Grande, onde a partir de hoje passou a estar, em permanência, uma equipa dos Bombeiros de Portimão, composta por um veículo florestal de combate e cinco bombeiros, devidamente integrados no Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) do Algarve. 

Esta unidade junta-se agora a uma capacidade que, através de um financiamento da autarquia aos Bombeiros de Portimão, está disponível ao longo de todo ano, e que consiste numa equipa dedicada ao espaço rural (com uma composição mínima de um veículo e cinco bombeiros), a qual, além de assegurar a resposta às ocorrências fora dos períodos historicamente mais críticos, ainda assegura, a par da Equipa de Sapadores Florestais do Município, um acompanhamento das centenas de queimas mensais que são reportadas através da Linha Municipal “Proteção 24” – 808 282 112.

PLANO PREVENTIVO

Em paralelo, decorre o plano de trabalhos de prevenção em todo o espaço rural abrangendo as três freguesias do concelho, nomeadamente a gestão de combustível nas faixas da rede primária e secundária que contribuem para a proteção de pessoas e bens.

O reforço de meios de combate que inicia hoje inclui ainda uma Equipa Logística de Apoio ao Combate (ELAC) que permite operar um veículo tanque, o qual é despachado automaticamente sempre que seja rececionado na Sala Municipal de Operações e Gestão de Emergências um alerta de incêndio no concelho. 

Este dispositivo mínimo em prontidão 24 horas é incrementado sempre que elevado o Estado de Alerta Especial pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, e inclui a capacidade de operar as Equipas de Reconhecimento e Avaliação da Situação (ERAS) em apoio à região, bem como a afetação de máquinas de rasto que foram previamente contratualizadas pelo Município e que são pré posicionadas no terreno sempre que o risco o justifique.

You may also like...

Deixe uma resposta