Portimão investe 10 milhões em vias de comunicação

TEXTO: JORGE EUSÉBIO

A Câmara de Portimão prepara-se para avançar com um conjunto de intervenções nas vias de comunicação do concelho que implica um investimento total de cerca de 10 milhões de euros. Segundo anunciou, numa recente sessão da Assembleia Municipal, a presidente da autarquia, Isilda Gomes, uma parte substancial da verba será aplicada na construção de três novas estradas.

Uma delas consiste no prolongamento da Avenida Paul Harris até à zona da Forportil (situada na Estrada de Alvor). Trata-se de uma forma de tentar descongestionar a principal via de comunicação de Portimão, a V6, dando uma alternativa a quem entra na cidade pelo túnel das Cardosas e pretende seguir na direção de Alvor.

Para conseguir concretizar esta obra de que já há muitos anos se fala, Isilda Gomes está disposta a investir 1,8 milhões de euros.

Outra estrada que consta dos planos da autarca é a V10, entre a Estrada Municipal 531, na zona da Penina, e os Montes de Alvor que, de acordo com as contas de Isilda Gomes, deverá implicar um investimento de 2 milhões de euros.

Uma terceira via de comunicação que se pretende abrir é a V5, que vai ligar a Aldeia Nova da Boavista ao Chão das Donas, e tem um custo estimado de 1,7 milhões de euros.

Outra área em que a Câmara de Portimão vai investir é na requalificação de ruas e estradas. Uma delas vai ter por alvo a Avenida Afonso Henriques (via de comunicação que vai desde o Largo do Dique até à rotunda das Conserveiras, perto do Museu). Trata-se de uma intervenção que custará cerca de um milhão de euros e cujo concurso até já teve lugar, o que significa que as obras poderão iniciar-se a qualquer momento.

No entanto, o executivo camarário está a ponderar se isso deverá acontecer de imediato ou se fará mais sentido esperar pelo o final do Verão, de forma a não complicar ainda mais a vida dos automobilistas que, ao longo da época alta, circulam na cidade.

Também de um milhão de euros é o orçamento que está feito para a requalificação da V6, a que se juntam 2 milhões para um conjunto de intervenções em diversas vias de comunicação do concelho, numa extensão total de 10 quilómetros. Há ainda a considerar um investimento de 70 mil euros na Estrada do Vau e outro de 350 mil para pavimentar o Caminho da Esteveira, na freguesia da Mexilhoeira Grande.

Gestão do estacionamento

Ao nível da mobilidade na cidade, outro dos objetivos assumidos por Isilda Gomes é que “seja a Câmara a gerir o estacionamento automóvel à superfície”.

Nesse sentido, a autarca informou os deputados municipais que chegou a acordo com a empresa que detém a concessão da maioria desses espaços, a Emparque, a qual, a troco de 850 mil euros, se disponibiliza a transferir tal responsabilidade para a autarquia.

A proposta seria, poucos dias depois, aprovada em reunião do executivo camarário e agora segue para o Tribunal de Contas, uma vez que, para que o negócio avance é necessário que aquela entidade dê o seu aval.

Se isso acontecer passam, então, para a gestão do município 716 espaços de estacionamento situados no centro da cidade.

Alguns serão ’libertados’, deixando os automobilistas de pagar qualquer verba para os utilizar. Outros, referiu a autarca, “terão as suas tarifas diminuídas”, ao mesmo tempo que o horário de pagamento será reduzido.

You may also like...

Deixe uma resposta