PS parte à frente em Lagos

Texto: José Manuel Oliveira


A menos de três meses das eleições autárquicas, Lagos apresenta como principal novidade a candidatura do Chega, que logo a seguir às presidenciais até se perspetivava como forte opositor ao PS, instalado na Câmara Municipal desde 2001, mas várias polémicas internas têm reduzido o impacto do partido de André Ventura.

Uma nova estratégia do movimento independente ‘Lagos Com Futuro’, com várias coligações, é também uma das notas de destaque, num combate político em que os socialistas liderados por Hugo Pereira seguem na frente de outros partidos que procuram o seu espaço e garantir mais votos. PSD, CDU, Bloco de Esquerda e PAN preparam também estratégias para ‘atacar’ o poder e tentar quebrar a maioria do Partido Socialista.

PS: Em equipa que ganha não se mexe
Bem distante destas polémicas e com o caminho cada vez mais livre para manter o poder em Lagos, entre uma base financeira estável no município e várias obras e projetos como cartões de visita, mesmo em tempo de covid-19, está o PS, à partida, sem grande oposição à vista. Há já algum tempo que apresentou as figuras que encabeçam as listas aos seis órgãos autárquicos do concelho, transmitindo uma imagem de organização e unidade.

Como “em equipa que ganha não se mexe”, lembram os socialistas, além de pretender manter os seus vereadores, o atual presidente da Câmara de Lagos, o economista Hugo Pereira, de 45 anos, volta a assegurar a recandidatura dos presidentes das Juntas de Freguesia deste concelho. Ou seja, de Carlos Saúde à de São Gonçalo de Lagos; de Duarte Rio à União das Freguesias de Bensafrim e Barão de São João; de Carlos Fonseca em Odiáxere; e de João Reis à da Luz.

Por outro lado, e na perspetiva de uma maior proximidade e afetividade junto do eleitorado, Joaquina Matos é a escolha do PS para encabeçar a lista à Assembleia Municipal de Lagos, até agora presidida pelo médico Paulo Morgado, presidente do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde do Algarve.

PSD quer mais habitação
Já o PSD, o segundo partido com mais expressão neste concelho, aposta, desta vez, em Pedro Moreira, de 55 anos, nascido em Lagos e empresário na área hoteleira, como candidato à presidência do executivo camarário local.

‘Lagos para todos – Um concelho de oportunidades’, ‘Nas mãos de todos’, são, para já, os slogans da pré-campanha social-democrata, que insiste em “competência, ética e transparência”. O advogado e empresário também na área hoteleira Nuno Serafim, de 45 anos, atual vereador da Câmara, encabeça a lista à Assembleia Municipal; e Mário Faria, de 42 anos, licenciado em Educação Física e empresário na área do ‘fitness’, à Freguesia de São Gonçalo de Lagos. Por outro lado, Mónica Viana, de 38 anos, gestora hoteleira, apresenta-se como candidata à União das Freguesias de Bensafrim e Barão de São João; Fernando Bernardo, de 63 anos, comerciante, encabeça a lista à Freguesia de Odiáxere; e William Merewether, de 56 anos, nacionalidade inglesa e empresário de eventos, é o nº1 do partido ‘laranja’ à Freguesia da Luz.

Pedro Moreira promete “um hospital com melhores condições” e “uma base económica diversificada” e garante que “Lagos será uma cidade de oportunidades, vocacionada para o desenvolvimento sustentável, inteligente e inclusivo”, assegurando que “pelo menos umas quinhentas habitações terão de ser construídas” nos próximos anos pelo município, ou por parceiros, “com custos e preços de venda controlados”.

Chega aposta em holandês
Entre divisões e discussões, o Chega aposta Delano Chiattone para a cabeça de lista à Câmara.

Natural de Haarlem, Holanda, o ‘chef’ de cozinha de 37 anos foi a escolha da Comissão Política Distrital de Faro do partido e após Carlos Tendeiro, guarda-noturno, advogado estagiário e presidente da Assembleia Distrital, ter abdicado da sua nomeação para a corrida autárquica, entre muita polémica com militantes e simpatizantes da concelhia. Isto, depois da chamada ‘bronca da garagem’, como a cena da quase agressão ficou conhecida entre alguns dos contestatários.

Residente no concelho de Lagos desde 1998, Delano Chiattone apresenta-se: “Não sou fascista, homófobo, racista, xenófobo nem machista”. Neste momento, o candidato do partido de André Ventura vai mantendo contactos com populares, profissionais de vários sectores, incluindo forças de segurança, e exibindo vídeos, através da sua página na rede social ‘Facebook’, de visitas a mercados e a outros locais públicos do concelho de Lagos. Sabe-se, entretanto, que uma das suas dificuldades na formação das listas reside em assegurar a presença de mulheres.

Contudo, muitos militantes e simpatizantes do Chega, que preferiam outro candidato à Câmara, consideram Delano Chiattone “um completo desconhecido”, garantem que não o apoiam e ainda acreditam que a direção nacional do partido reconsidere e obrigue a Distrital de Faro a mudar o cabeça-de-lista.

Independentes preparam nova estratégia
Por outro lado, o movimento independente ‘Lagos Com Futuro’, que conta com o vereador Luís Barroso no executivo camarário, prepara-se para ir a votos, desta vez, ao que se sabe, para já, através de uma coligação incluindo os partidos ‘Nós, Cidadãos!’ e ‘Aliança’.

Será essa uma forma de evitar a recolha de assinaturas a que estão obrigados os movimentos de candidaturas independentes às autarquias. Ana Margarida Martins, professora de Física e Química e atual líder da bancada do Movimento ‘Lagos Com Futuro’ na Assembleia Municipal de Lagos, até poderá ser o rosto desta nova estratégia política no concelho, à procura de outro fôlego. Isto, depois, segundo apurou a Algarve Vivo, de o Movimento ‘Lagos Com Futuro’ ter rejeitado a ideia de uma coligação com o PSD.

CDU lança professor
Atualmente sem qualquer vereador na Câmara, a Coligação Democrática Unitária – CDU (que integra o Partido Comunista Português e o Partido Ecologista ‘Os Verdes’) aposta para encabeçar a lista a este órgão autárquico, em Alexandre Nunes, de 46 anos, natural de Castelo Branco e professor de Matemática e Ciências Naturais na Escola das Naus, em Lagos, onde reside desde 1999.

Por seu turno, José Manuel Freire, funcionário público aposentado e militante da ‘velha guarda’ do PCP, é a escolha da CDU para a Assembleia Municipal de Lagos, enquanto Luís Fagundes, empresário livreiro, e Maria José Cintra, aposentada dos CTT, encabeçam as listas às Assembleias de Freguesia de São Gonçalo de Lagos e da Luz, respetivamente.

BE por definir e PAN com nova aposta
O Bloco de Esquerda, que também deixou de ter representação na Câmara de Lagos, ainda procura nomes para disputar as próximas autárquicas neste concelho. Ana Natacha Álvaro, de 36 anos, foi eleita, nas últimas autárquicas, para a Assembleia Municipal. Já o ‘PAN – Pessoas- Animais-Natureza’, que conta com Margarida Maurício também na Assembleia Municipal de Lagos, poderá apostar, agora, em Maria João Sacadura, bióloga e professora do ensino secundário, como candidata à presidência do executivo camarário.

Com mais de 23 mil eleitores, o concelho de Lagos registou, nas últimas eleições autárquicas, há quatro anos, cerca de 56 por cento de abstenção. A este número, juntaram-se quatro ou cinco por cento de votos nulos e brancos.

You may also like...

Deixe uma resposta