Cuca Roseta e António Zambujo são cabeça de cartaz da Mostra Silves Capital da Laranja

Cuca Roseta, António Zambujo e Fole’percussion serão os cabeças de cartaz dos espetáculos que decorrerão na III Mostra Silves Capital da Laranja, que decorrerá nos dias 15, 16 e 17 de fevereiro.

Cuca Roseta (https://cucaroseta.com/bio/) apresentar-se-á no dia 15 de fevereiro (22h00), no palco principal da Fissul, com alguns dos temas que integram os seus dois álbuns (“Cica Roseta” e “Raiz”). A cantora que iniciou a sua carreira como membro dos Toranja, de Tiago Bettencourt e que é atualmente reconhecida como um dos mais importantes nomes do fado, é presença em grandes eventos de nacionais e internacionais entre os quais se destacam o Cool Jazz Fest em Cascais, o 1º Festival de Fado de Madrid, o 1º Festival de Fado de Portimão, o Festival Med, tendo atuado em várias cidades do mundo: Rio de Janeiro, Nova Iorque, Abu Dhabi, Tbilisi (Geórgia), Paris, Barcelona, Londres, São Paulo (Brasil), Bruges (Bélgica), Arzila (Marrocos). Participou, ainda, em inúmeros duetos, em palco, com, por exemplo, Júlio Iglésias, Djavan, Silvia Perez Cruz Carlos do Carmo, Pedro Abrunhosa e André Sardet. Autora de letras e músicas próprias tem no seu segundo disco, “Raiz” (2013), um álbum feito quase exclusivamente de originais.

No dia 16 (22h30), será a vez de António Zambujo (https://www.antoniozambujo.com/pt/biografia) animar a III Mostra Silves Capital da Laranja. Este alentejano de Beja, nascido em 1975, que estuda música desde a infância, estreou-se nos discos em 2002 e tem vindo a reunir uma enorme quantidade de sucessos e de prémios, que o tornam num dos mais populares e conhecidos músicos nacionais de música pop e cujo sucesso foi reconhecido pelo Presidente da República, que lhe outorgou a comenda da Ordem do Infante D. Henrique em 2015. Com diversas abordagens musicais e passando por diversos estilos, que vão do fado ao Hip Hop, estabelecendo colaborações com diversos artistas, acaba sempre por dar um cunho muito português à sua criação musical. Participa em inúmeros concertos e festivais, em Portugal e um pouco por toda a parte, com destaque para o Brasil, Dinamarca, a Noruega, o Azerbeijão, Israel ou a Bulgária. O disco “Até Pensei Que Fosse Minha” foi nomeado para o Grammy Latino, em 2017, na categoria de Melhor Disco. Com nove trabalhos editados trará a Silves temas que o identificam junto do público e temas do seu último trabalho, “Do Avesso”, gravado em 2018.

Os Fole’percussion (https://www.facebook.com/pg/FolePercussion/about/?ref=page_internal) fecharão os espetáculos com uma apresentação no dia 17 (16h30). Constituídos por três elementos – José Silva (Guitarrista e vocalista), Jorge Alves (Acordeão e coros) e Mauro Mestre (Percussão) – interpretam músicas tradicionais portuguesas com arranjos modernizados e com um cariz worldmusic, misturando as sonoridades do acordeão e da guitarra com os ritmos fortes na percussão.

Recordamos que este certame terá a sua inauguração oficial pelas 10h30. Presentes estarão várias dezenas de expositores ligados à citricultura, vinhos, agricultura, produtos regionais, doçaria, artesanato e gastronomia, bem com algumas associações e entidades locais e regionais.

You may also like...

Deixar uma resposta