Feira de Proteção Civil de Albufeira alerta autoridades para risco de sismos

Terminou neste sábado, 1 de abril, a 3ª Feira de Proteção Civil de Albufeira, organizada pela Câmara local no Espaço Multiusos e com início a 28 de março.

O evento foi promovido numa altura em que se reforçam alertas a nível nacional e internacional para o elevado risco sísmico no Algarve, com os efeitos catastróficos que daí poderão resultar, e onde, de resto, nos últimos tempos se têm registado frequentes abalos.

“A existência de placas tectónicas na região poderá provocar a qualquer momento atividade sísmica. Por isso, o principal alerta que fica deste encontro é que todas as autoridades regionais têm de estar em sintonia para enfrentar a situação”, sintetizou, em declarações ao ‘site’ da revista Algarve Vivo, Jorge Azevedo, vice-presidente da direção da Associação de Nadadores Salvadores de Albufeira, uma das entidades participantes com ‘stand’ próprio no certame realizado nesta cidade, em que foram apresentados os meios utilizados por aqueles profissionais. Neste sábado, data do encerramento, verificou-se maior afluência de público, nomeadamente de crianças e jovens.

No certame, inserido no Dia Internacional da Proteção Civil sob o lema ‘Juntos para a Redução de Catástrofes’, decorreram ‘workshosp’ e palestras sobre riscos sísmicos, salvamento aquático em piscinas, proteção e combate a incêndios, segurança de pessoas e bens, socorro pediátrico, suporte básico de vida, risco de incêndios florestais, salvamento marítimo, segurança e saúde no trabalho e salvamento de animais, além da demonstração de meios das várias entidades presentes, nomeadamente cavalos e cinotécnica da GNR, uma unidade móvel de proteção da empresa pública Infraestruturas de Portugal e um simulador de sismos.

O evento contou, ainda, com a participação da Administração Regional de Saúde do Algarve, Autoridade Nacional de Proteção Civil, Autoridade Marítima e Polícia Marítima, Bombeiros Voluntários de Albufeira, Cruz Vermelha Portuguesa e Forças Armadas – Regimento de Infantaria nº 1, bem como de várias empresas e da Universidade do Algarve.

You may also like...

Deixar uma resposta