Feira Medieval de Silves apresenta novidades


Novos cenários, recriações de rituais vikings, equipamentos tecnológicos para apoio ao visitante são algumas das novidades que os visitantes encontrarão na XVI Feira Medieval de Silves, que decorre de 9 a 18 de agosto, e que recorda a relação da antiga Xilb com os Vikings, relatando factos que remontam ao ano de 844, quando de Silves saiu em missão diplomática um embaixador (Al-Gahzali), que de barco chegou ao território dos Majus (Vikings). 

“Este ano teremos a introdução de alguns suportes tecnológicos, que ajudarão na experiência dos visitantes e lhes permitirão consultar o programa do evento, aceder ao site da autarquia na área da Feira Medieval” e apresentar sugestões, explica Rosa Palma, presidente da Câmara Municipal de Silves. Na verdade, estarão espalhados pelo recinto cinco totens que permitirão que os visitantes possam dar a sua opinião sobre o evento, aceder a informação e registar ‘selfies’, que depois serão encaminhadas para os seus emails e poderão ser partilhados nas redes sociais de cada um. “É uma forma de podermos estar mais perto dos visitantes e de procurarmos interagir de outro modo com eles”, revela a autarca silvense.

Outra das inovações desta edição da Feira Medieval de Silves é a existência de mais e novos pontos de animação, que também constituem novos elementos cenográficos e, logo, complementam o ambiente da feira. Uma nova mesquita, um palco especial nas traseiras do edifício dos Paços do Concelho, darão ao visitante a a sensação de estarem num espaço familiar, mas ao mesmo tempo novo. “Teremos mais pontos de animação e surpresas no fantástico cenário natural da cidade, que é perfeito para a realização deste evento”, salienta Rosa Palma dando particular ênfase ao trabalho “criado pelo sector de carpintaria e desenhado pelos técnicos de desenho” da autarquia e que resultarão nesta mudança de visual.

Ainda no que toca ao cenário, este ano estará na Praça Al-Mutamid um acampamento Viking, com pessoas em permanência, de modo a dar a conhecer o ambiente de uma aldeia viking. Ali estarão Tendas Vikings (estruturas em madeira e cobertas a colmo e a pano), um barco e uma carroça Viking e uma Pira funerária. Neste cenário retratar-se-ão as vivências (em funcionamento contínuo) de um ferreiro, de um tecelão, de um carpinteiro, de um curtidor de peles e de um construtor de redes e recriar-se-ão (diariamente) o ritual de casamento, os sacrifícios aos deuses, o ritual da águia de sangue e o ritual fúnebre. “E ainda estamos a preparar uma outra surpresa, que envolverá, se tudo correr como desejamos, o desembarque viking no Rio Arade, já que queremos que os visitantes percebam a importância estratégica deste curso de água e como ele foi determinante para o contacto com estes povos do norte da Europa”, explica a edil.

Revelar a imensa riqueza da história do concelho continua a ser preocupação da Câmara Municipal de Silves, organizadora do evento. “Sabemos que estamos perante um evento de recriação histórica e essa recriação é que lhe dá alma, lhe dá a cor que é tão particular de Silves e das suas gentes. Silves tem ocupação humana, sabemos, desde a pré-história. Por aqui passaram povos, religiões, culturas e modos de ser muito diversos, que nos deixaram saberes e modos de estar e ser que nos são muito peculiares. A cultura é uma marca desta cidade e está profundamente ligada a essa herança de que muito nos orgulhamos, porque Silves é um lugar especial no que toca à cultura e à história”, conclui Rosa Palma.

You may also like...

Deixar uma resposta