Loulé é apoiado pelo Fundo Ambiental para projeto de valorização do território

A Câmara Municipal de Loulé viu, uma vez mais, uma das suas candidaturas aprovadas para financiamento, num montante de 50 mil euros para promover um projeto de valorização do território, no âmbito do Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente e da Transição Energética, que tem por finalidade apoiar políticas ambientais para a prossecução dos objetivos do desenvolvimento sustentável, contribuindo para o cumprimento das metas e compromissos nacionais e internacionais, sobretudo os relativos às alterações climáticas, aos recursos hídricos, aos resíduos e à conservação da natureza e biodiversidade.

A candidatura de Loulé intitulada “Adaptar o território a novos desafios” sobre o eixo temático “EducarTE: Educar para o Território”, decorre do Aviso nº 4656/2019 – Diário da República, 2ª série, nº 55, de 19 de março de 2019, à qual concorreram um total de 65 candidaturas admitidas para análise. A candidatura de Loulé foi aprovada e considerada elegível para financiamento (num conjunto de 13 candidaturas), com valor máximo de mérito da candidatura (cinco valores), uma vez que vai ao encontro dos objetivos do Fundo Ambiental, por tratar-se de um projeto que pretende “comunicar o território no sentido de uma cultura cívica mais presente, que considera o ordenamento do território e a conservação e valorização do património — natural, paisagístico e cultural, e que é efetivamente uma estratégia de valorização do interior.” 

Esta candidatura reflete a pretensão do município em se constituir, juntamente com o município de Silves e de Albufeira, num território aspirante a Geoparque Mundial da UNESCO.

Atendendo à transversalidade deste programa sobre o território e no território, estamos perante uma oportunidade de dinamização da participação da comunidade no sentido de comunicar e disseminar a missão de Geoparque Mundial da UNESCO, o que permitirá uma troca de experiências e de boas práticas de sustentabilidade enriquecedoras a todos os níveis.

Por isso, este projeto é o início de algo maior, um território aspirante a Geoparque Mundial da UNESCO, o qual não se esgota na aquisição da chancela, bem pelo contrário, a chancela será o início de um compromisso de longo prazo. 

A candidatura visa criar ferramentas de comunicação, exposição e visitação do património geológico e cultural do território aspirante a Geoparque Mundial da UNESCO, nomeadamente: a criação de uma página de internet, uma exposição itinerante, um vídeo promocional do território e sinalética para os geossítios.

You may also like...

Deixar uma resposta