Albufeira distingue mulheres do concelho

No Dia Internacional da Mulher, o Município de Albufeira distinguiu 10 mulheres da terra, com idades entre os 37 e os 75 anos, que se destacaram pela relevância do seu percurso profissional ou pessoal e pelo seu contributo para o desenvolvimento do concelho. Durante a cerimónia, que este ano devido à pandemia, teve que adotar um formato mais simples, o presidente da autarquia, José Carlos Rolo, referiu que a escolha das homenageadas “é um processo sempre difícil e nem sempre consensual”, sublinhando, no entanto, que o mesmo pretende, de acordo com os critérios previamente definidos, ser o mais abrangente possível, quer em termos de diferentes áreas profissionais quer de faixas etárias abrangidas, bem como da representatividade geográfica do concelho .

Receberam a distinção ‘Albufeira Mulher 2021’ Ana Sofia Brito, pela coragem e sucesso do seu percurso performativo no país e no estrangeiro (Animação de Rua); Carla Martins, em reconhecimento pelo seu desempenho, liderança e sucesso na gestão de dois dos maiores núcleos comerciais do concelho (Economia); Celestina Prata, pela sua dedicação e desempenho ininterrupto na vacinação da comunidade local, com destaque para a sua participação na vacinação contra a Covid-19 (Saúde Comunitária); Cláudia Vieira, pela sua visão empreendedora e relevância do seu desempenho na promoção da saúde animal (Medicina Veterinária); Clotilde Teodósio, pela relevância do seu desempenho empresarial e promoção da marca Albufeira a nível regional e nacional, bem como pelo contributo no apoio ao desporto e na vertente social (Restauração e Mecenato); Maria Espírito Santo, pelo reconhecimento do seu trabalho ao nível da promoção e continuidade da tradição popular e tipicidade da aldeia de Paderne (Tradição Popular); Maria Graça Faísca, pelo seu desempenho na promoção cultural e popular de Olhos de Água, com destaque para a fundação do Rancho Folclórico de Olhos de Água e criação da Associação Cultural e Recreativa da localidade (Associativismo); Maria José Leote, pelo seu longo e bem-sucedido percurso na formação e educação de jovens albufeirenses e pela sua entrega ao associativismo, concretamente pela relevância da sua intervenção na direção do Escutismo local e regional (Ensino e Associativismo); Margarida Feteira, pelo seu desempenho na direção e coordenação do Centro de Saúde de Albufeira, especialmente pela sua participação no combate à Covid-19 (Medicina Familiar) e por último, Sónia Pinto, pela relevância do seu desempenho na área do voluntariado, com destaque para a coordenação da delegação de Albufeira do Centro de Apoio aos Sem-abrigo.  

José Carlos Rolo sublinhou que apesar de este ano a cerimónia “não ser tão glamorosa”, nem poder reunir os familiares das homenageadas “continua a ser um evento de enorme significado para mim em particular e para o Município que represento”. Referiu os momentos mais marcantes relacionados com a comemoração da data e frisou que apesar de ser um dos dias mais celebrados em todo o mundo, ainda continuam a prevalecer muitas desigualdades que é fundamental erradicar. “Apesar de estarmos em pleno século XXI, só este ano foram assassinadas 30 mulheres em Portugal em casos de violência doméstica, uma situação preocupante, que tem que contar com o contributo de todos e de todas, para que esta realidade inaceitável mude”. A Lei da Paridade, com a imposição de quotas, veio trazer uma aproximação no que diz respeito aos direitos das mulheres na área profissional e política, frisou, “mas só quando isto acontecer naturalmente é que podemos considerar que temos uma sociedade mais justa e igualitária”  

You may also like...

Deixe uma resposta