EMARP lançou projeto de recolha de orgânicos em Portimão

AEmpresa Municipal de Águas e Resíduos de Portimão (EMARP) iniciou um projeto-piloto de implementação de um sistema de recolha seletiva dos resíduos orgânicos no concelho, em março.

A medida está a ser desenvolvida com recurso a verbas obtidas através de uma candidatura ao Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

A primeira fase envolve restaurantes, escolas e Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) nas freguesias de Portimão e de Alvor.

O objetivo do projeto-piloto, que abrange 13 836 alojamentos, o equivalente a 19 353 habitantes, que representa 35 por cento da população, passa por criar condições para que o município cumpra a obrigatoriedade da recolha seletiva dos biorresíduos a partir do dia 1 de janeiro de 2024. Nessa data, a recolha seletiva ou a separação e reciclagem na origem passa a ser aplicável a todos os municípios portugueses.

Para já, a EMARP está a dotar o concelho com os equipamentos e recursos necessários para poder efetuar esta recolha, ao mesmo tempo que está a informar os munícipes para a importância do envolvimento e adoção de práticas mais sustentáveis e amigas do ambiente. É que esta medida, assente na economia circular, possibilita desviar dos aterros 37 por cento de resíduos biodegradáveis. Por sua vez, estes restos de comida podem ser transformados em fertilizante 100% natural.

No concelho, neste projeto-piloto, são implementados dois modelos distintos. No caso da ‘Recolha Seletiva de Proximidade’ há, junto à rede de ecopontos existentes na via pública, 144 contentores destinados à deposição dos orgânicos.

Os moradores abrangidos terão direito a um kit informativo, um balde para a separação dos restos de comida em casa, com vista a depositá-los depois no contentor castanho (instalado no exterior), sem haver a possibilidade de contaminação.

Para a ‘Recolha Seletiva de PaP’ (porta à porta), que prevê nesta fase a integração de cinco IPSS, 11 escolas e 80 estabelecimentos de restauração, foram colocados contentores de 360 litros nessas instituições e a recolha será articulada entre os estabelecimentos e os serviços da EMARP.

Campanha para sensibilizar
‘Está na Hora!’ é o mote da campanha de comunicação deste projeto-piloto. A mascote é a ‘Marafada’, que tem a missão de salvar os restos de comida do aterro.

A EMARP desenvolveu, entretanto, um site (https://organicos.emarp.pt/) que agrega toda a informação do projeto.

You may also like...

Deixe uma resposta