Jovem de Porches pede ajuda para vencer distúrbio alimentar

Mariana André é uma jovem de 15 anos, de Porches, que está a enfrentar uma luta contra a anorexia, para a qual agora pede a ajuda da população.

Isto porque, a adolescente já esteve duas vezes internada para tratar este distúrbio, ambas sem sucesso de recuperação e não tem recursos económicos para ingressar de novo num programa de tratamento. “Já passou por dois períodos de internamento, mas sempre que regressa a casa, o ciclo repete-se e volta a piorar. Com apenas 43 quilos, Mariana pede ajuda através de um ‘crowdfunding’ para um internamento, especializado e mais longo, na esperança de vencer a sua doença”, esclarece a GoFundMe Portugal.
A jovem de Porches faz questão de deixar claro no texto da campanha de angariação de fundos que a situação que atravessa não resulta de uma escolha e que também não a envergonha. “Distúrbios alimentares não são uma brincadeira. Nunca na minha vida me iria imaginar a ter medo dos alimentos, pois sempre fui uma pessoa que adorou comer”, começa por afirmar Mariana André.

“Estive à beira da morte, fiquei sem o período durante oito meses. Tinha o estômago do tamanho de uma ervilha e os meus órgãos estavam a parar de funcionar, cheguei a pesar 38 quilos, quando o meu peso era 57 e a minha altura é 1,60 metro. Neste momento encontro-me com 43 quilos”, conta.

Mariana André já ultrapassou dois internamentos, mas sem sucesso. “Regressei a casa, deixei de seguir o meu plano alimentar e comer é uma frustração para mim”, admite numa declaração que serve também de alerta para esta problemática. A jovem de Porches não quer desistir desta luta e, por isso lançou uma angariação de fundos através da GoFundMe Portugal (https://pt.gf.me/v/c/gfm/no-me-vais-derrubar-maldita-anorexia-mariana) com o objetivo de conseguir o valor necessário para um novo tratamento no Centro de Tratamento Villa Ramadas, em Alcobaça.A estadia neste centro de tratamento especializado em adições tem uma duração estimada de quatro  meses. Mariana André decidiu pedir ajuda uma vez que se trata de um programa com custos elevados que não consegue suportar, pois a mãe está desempregada e o pouco que o pai tem “está a investir” na jovem.

“Quero melhorar, quero voltar a ser a Mariana que era, que sorria para a vida, adorava passar o tempo com família e amigos, que não via a comida como um inimigo e que simplesmente desfrutava da vida”, descreve. É por esta razão que apela ao auxílio da sociedade. No entanto, deixa ainda o alerta para outros jovens na mesma situação. “Para quem pensa que tem tudo controlado”, a anorexia é uma “doença perigosa” e há que pedir ajuda.

You may also like...

Deixe uma resposta