Opinião: Terapia no Café – Há uma estação e um tempo para tudo

Marta Pereira
Licenciada em Serviço Social e Terapeuta
terapianocafe@gmail.com
@martasilvapereira.terapeuta
TLF.: 917 082 917


Às vezes, a vida não é sobre resultados. Se sentimos que não estamos tão bem, então, talvez seja uma boa hora de recuar, de prestar atenção a nós mesmos, a um nível mais profundo. A vida é muito mais fácil, quando simplesmente deixamos as coisas se desenrolarem no seu próprio tempo perfeito. E a receita é: deixar de tentar e Viver!

Tudo o que precisamos fazer é aproveitar a viagem. E seria tão simples se não tivéssemos tanta dificuldade em admitir quando não estamos bem. Afinal, de onde vêm os pensamentos de que precisamos ser perfeitos? Porque é que insistimos em acreditar que errar ou falhar nos torna pessoas inferiores? Quem é que nos disse que chorar ou sentir raiva é mau? Porque é que acreditamos que a vulnerabilidade é uma fraqueza? Porque é que temos que agradar aos outros, mesmo que para isso tenhamos que nos desagradar? De onde vem a ideia absurda de que temos que ser sempre fortes?

São tantas as histórias que vivemos e que nos causaram dor, as frases depreciativas que ouvimos e assumimos como verdades e crenças alimentadas por anos e anos. A realidade é que vivemos no piloto automático. E quando assim é, assumimos que o que vem de fora é uma verdade absoluta e, que olhar para nós mesmos, para os nossos desejos e necessidades é Egoísmo. Está tudo bem, em não estar tudo bem e isso não nos torna inferior ou fracos.

Aprendemos que devemos esconder as nossas sombras! Sabemos que somos imperfeitos, ainda assim, não reconhecemos os nossos defeitos e, continuamos a projetar nos outros. Projetamos as nossas expectativas e aquilo que escondemos sobre nós mesmos. É por isto, que os nossos instintos tomam conta do nosso dia a dia e das nossas relações.

Bem, eu sou a Marta, uma terapeuta da vida, focada no crescimento pessoal, famílias felizes e comunidades conscientes. Ajudar as pessoas a superar a dor, o medo e os desafios é o que faz o meu coração cantar. E eu acredito que, não importa o que acontece na vida, qualquer situação pode ser usada para nos libertar das limitações e das lutas. Quando escolhemos dar um passo para o amor-próprio, a sabedoria e confiança interior aumentam e tudo muda. E digo isto por experiência.

E é com base na experiência que tenho, que digo: Observe! Quando se sentir incapaz, vulnerável ou inferior, é nessas situações que as sombras se revelam. É quando desperta em nós a inveja, a raiva, a arrogância, os ciúmes, a indiferença, o medo. Os nossos instintos são aflorados e é ‘aqui’ que devemos olhar para nós, de forma honesta, lembrando que o externo é um mero gatilho para o que existe dentro de nós.

A nossa tarefa é descobrir o que há e, depois, convidar as nossas sombras a ‘beber um café’. Afinal, tudo quer ser olhado, acolhido, amado. E esta é a beleza do autoconhecimento, a nossa imensa capacidade de nos vermos inteiros, de integrar todas as nossas partes com amor e consciência. A arte de viver bem é uma vida vivida com alegria, unicidade e relacionamentos felizes. É uma realidade vivida com os nossos cinco sentidos, com calor e conexão. É sobre a paz interior e a estabilidade que nos faz criar uma vida verdadeiramente mágica e gratificante.

Por isso… desprogrAme-Se.

You may also like...

Deixe uma resposta