Pista de atletismo topo de gama para dar mais vida à Bela Vista

Texto: Hélio Nascimento | Fotos: Eduardo Jacinto, in Jornal Lagoa Informa nº 163


As pequenas-grandes histórias do nosso desporto são mesmo assim, singelas e curiosas, fruto de muito trabalho e da dedicação das pessoas, quer dos dirigentes e dos treinadores, quer, também, dos atletas.

A Associação Académica da Bela Vista (AABV), coletividade do Parchal, insere-se precisamente neste lote, e, em cerca de 15 anos de vida, tem já um lugar de relevo no concelho, dedicando-se a duas modalidades, o futebol e o atletismo, qualquer delas com resultados satisfatórios e promissores. Para lá dos resultados, salta à vista a alegria dos praticantes, mais ou menos jovens, que cativam quem os vê a correr, a saltar ou a rematar à baliza. Se nunca viu, fica o conselho: dê um salto ao Estádio Municipal, aos fins de tarde, e constate a alegria de quem faz do desporto uma salutar forma de vida. 

Paulo Roberto, 46 anos, empresário, é o presidente – desde a primeira hora – da coletividade. “Já lá vão há 15 anos. Sou da Bela Vista e sempre reparei nesta carência de não haver desporto aqui na zona, pelo que o meu sonho foi o de formar um clube. Hoje, temos mais atletas, melhores condições, e, tanto no futebol como no atletismo, queremos cimentar esta expressão. Apesar dos condicionalismos derivados pela pandemia, temos cerca de 250 praticantes, 150 no futebol e mais 100 no atletismo. E estamos a crescer. Não vamos falar do que está para trás, mas sim do futuro, dos atletas que regressam a esta casa, dos outros que aparecem e do grande orgulho que sentimos e nos faz acreditar”.  

Em termos de atletismo, e porque esta reportagem é sobretudo dedicada à ‘rainha’ das modalidades, a Bela Vista tem praticantes desde os minis até aos veteranos, com treinos praticamente diários, sejam de corrida, saltos ou lançamentos. Existe também a vertente de estrada, mas é na pista que evoluem os mais novos e os mais vocacionados para iniciarem a competição. “Felizmente, temos boas condições e treinadores para cada especialidade, num total de cinco técnicos, o Paulo, o Mike, a Beta, o Fernando e o Rui Roque, um ‘braço direito’ que está sempre pronto a ajudar. “Tanto eles como os atletas são maioritariamente do concelho de Lagoa, ou nossos vizinhos, de Portimão, Silves e até Lagos”, conta Paulo Roberto, falando de dois clubes lagoenses que se dedicam ao atletismo, “nós e o Sporting Lagoense”. 

Uma pista a transbordar de alegria 
A modalidade continua a crescer e há imensas equipas espalhadas pelo Algarve, todas com muita miudagem. A Associação Académica não foge à regra e Paulo Roberto regozija-se por verificar que “bastantes jovens, entre os 10 e os 11 anos, treinam uma primeira vez connosco e acabam por ficar”.

A Câmara Municipal de Lagoa tem sido “essencial em todo este trajeto, possibilitando que o atletismo seja totalmente gratuito, o que muito se deve ao presidente Luís Encarnação, que nunca faltou com nada, seja na logística, transportes ou outras necessidades”.  

O clube foi fundado em 2006 e em 2009 conheceu uma projeção significativa, com a inauguração do Estádio Municipal da Bela Vista. “São 12 anos sempre a crescer. Temos alguns patrocínios, é claro, e, por isso, no futebol, é somente paga uma quantia simbólica para os miúdos poderem aprender e jogar”, sublinha o presidente, constantemente cumprimentado pelos seus ‘parceiros’ durante a reportagem do Lagoa Informa. 

Toda a atividade do emblema lagoense decorre no Municipal da Bela Vista, e, ao mesmo tempo que os ‘candidatos a Ronaldos’ se desdobram por todo o relvado em fintas e remates ao golo, sob o olhar atento de Carlos Sequeira (diretor de entidade formadora), a pista de atletismo transborda igualmente de alegria. Ninguém está parado! 

O sonho de ter uma sede própria  
Por falar em pista, há qualquer coisa de grande em marcha. O projeto está mais do que concluído e as máquinas ao redor confirmam o que aí vem: a nova pista de atletismo vai ser das melhores da Europa, reunindo todas as infraestruturas, tipo topo de gama.

“Trata-se de um piso de última geração, com rampas a condizer e demais acessórios. A Câmara Municipal está à cabeça do empreendimento, naturalmente, mas este piso, como pode observar, está deveras degradado, muito rijo e suscetível de provocar lesões”, revela Paulo Roberto.  

“Já lá vão 15 anos. Sou
da Bela Vista e sempre senti esta carência de não haver desporto na zona…
o meu sonho foi o de formar um clube”

As obras já arrancaram e durarão cerca de seis meses, pelo que, lá para fevereiro, é bem possível que haja ‘mais vida’ no atletismo da Bela Vista. Os atletas vão agradecer. “Além dos treinos, ficamos mais capacitados para receber provas distritais e nacionais. E mais campeões”, como sucedeu recentemente com a nossa campeã Patrícia Mamona e com os atletas ingleses Kylie Langford e Ellie Baker, que detêm excelentes marcas nos 800 metros e treinaram na pista lagoense. 

“É sempre um orgulho. O trabalho do município é fantástico e os clubes tentam corresponder. Mas nós temos ainda o sonho de ter uma sede própria”, confessa Paulo Roberto. Por ora, o clube dispõe de um espaço alugado, onde funciona a sede, que inclui um amplo salão para eventos culturais e ainda um restaurante, o que ajudava a angariar mais receitas, mas que, agora, não funciona a cem por cento devido às restrições que são do conhecimento geral.  

“Queremos manter o estatuto de sermos uma das equipas mais fortes do Algarve no atletismo. Os nossos benjamins e iniciados são incríveis, temos também um grupo de miúdas que há vários anos vem obtendo excelentes resultados e títulos distritais e um vice-campeão nacional, que é o Marco Nobre”, salienta Paulo Roberto. “Agora, com os regressos de muita gente e mais algumas caras novas que se vão juntar ao grupo, esperamos vir a obter bons resultados, inclusive a nível nacional”. 

Campeões distritais e um vice-campeão nacional 

O que têm em comum Nadine, Bruna, Diana e Lara? Além da idade (entre 12 e 13 anos), do gosto pelo atletismo e de há uns bons anos a esta parte representarem a Associação Académica da Bela Vista, são todas campeãs distritais, em várias especialidades, incluindo a prova de estafeta 4×60 metros, em que, formando equipa, conquistaram mais um título e bateram toda a concorrência. “E temos todas boas notas no liceu”, acrescentam, em uníssono, dando largas a uma alegria contagiante. Sofia e Mariana entram também neste lote e são igualmente campeãs distritais algarvias. Já Marco Nobre, 17 anos, sagrou-se vice-campeão nacional de juvenis nos 300 metros. “Faço atletismo há 13 anos e o clube dá-me um enorme apoio. O meu sonho é representar Portugal daqui a dois anos nos Europeus de sub-20”. Diogo Parreira, um ano mais velho, é campeão regional de sub-23 no salto em comprimento e quer bater o recorde do Algarve. “Já saltei 6,40m e o máximo é de 7,20m. Espero lá chegar”. 

Equipa de iniciados em estreia absoluta 

Pela primeira vez na sua história, a Associação Académica da Bela Vista vai ter uma equipa de iniciados a disputar o respetivo campeonato, em futebol de 11, uma boa nova confirmada ao Lagoa Informa por Carlos Sequeira, diretor da entidade formadora, a denominação agora atribuída para os clubes que vão somando estrelas no ‘selo de garantia’ atribuído pela Federação Portuguesa de Futebol. 
Os Pongas da Bela Vista já tinham os escalões de petizes (4, 5 e 6 anos), traquinas, benjamins (A e B) e infantis, no futebol de 9, surgindo os iniciados como a mais recente aposta. “Temos uma boa base de miúdos, cerca de 150, 40 dos quais surgiram neste arranque. E vamos ter muitos mais”, adianta o dirigente, orgulhoso pelos últimos acontecimentos, todos eles a confirmar o progresso do futebol juvenil no clube.
“Pelo segundo ano consecutivo recebemos a certificação de duas estrelas de entidade formadora. Temos técnicos qualificados, dois fisioterapeutas, um nutricionista e uma gestora de emoções (sofrologia), ou seja, obedecemos ao caderno de critérios e aos padrões que são exigidos, ao nível da qualidade das pessoas que lidam com a crianças”. A AABV concorreu por isso à Bandeira da Ética, que, premiando este leque abrangente de requisitos, é mais um motivo de enorme satisfação, até porque nenhum outro clube do concelho ostenta tal símbolo. 
“Dois atletas nossos, o Tiago Catrocho e a Margarida Santos, estiveram na Cidade do Futebol, a convite do IPDJ e da FPF, assinalando a Semana Europeia do Desporto”, vinca Carlos Sequeira, sonhando com um palco novo, que possa albergar mais miúdos. “Estamos a rebentar pelas costuras. Acredito que a Câmara vai continuar a ser um polo motivacional para toda esta juventude e que avançe com o projeto, até porque esta casa não é nossa”, diz, referindo-se ao Estádio Municipal. 

You may also like...

Deixe uma resposta