Realização da FATACIL ainda em análise

Apesar do atual cenário de pandemia, a realização da FATACIL 2021 ainda não está totalmente descartada. Segundo apurou o Lagoa Informa, decorrem contactos entre o Governo, a Direção-Geral da Saúde (DGS) e várias autarquias, entre elas a Câmara de Lagoa, para ponderar ou não a realização dos grandes eventos a nível nacional no próximo Verão.

Contactado pelo Lagoa Informa, o presidente da Câmara Municipal, Luís Encarnação apenas disse não ter “uma decisão definitiva e que a seu tempo se saberá se pode ou não haver FATACIL”.

Segundo soube o nosso jornal, é intenção do Governo possibilitar durante o Verão a realização de alguns eventos ao ar livre até cinco mil pessoas. Esta intenção poderá esbarrar numa postura mais defensiva da DGS, que se mostra mais cautelosa e pretende esperar até junho para perceber a evolução dos números da covid-19 após o desconfinamento.

Contudo, a organização destes eventos obedece a uma logística pesada e requer meses de preparação, não podendo esperar tanto tempo. São várias as Câmaras Municipais que têm eventos ao ar livre em ‘standby’, aguardando diretrizes da DGS. Algumas, ponderam reformulá-los, nomeadamente quanto ao limite de entradas, e adaptá-los às condicionantes causadas pela covid-19. Contudo, há contratos com artistas que têm de ser fechados e outras decisões organizativas que irão dificultar a realização de parte destes festivais.

Reformular?
Em Lagoa, por esta altura, já estariam encerradas as fases de inscrições dos expositores, quase fechado o cartaz musical e iniciada a contratação de inúmeros serviços importantes para a realização e promoção da feira. À data de hoje, nada disso está concluído, o que dificultará a realização de uma FATACIL ‘normal’.

Em cima da mesa, apurou o Lagoa Informa, em função das condicionantes da DGS, poderá estar a realização de um certame mais reduzido. Ainda que com o mesmo espaço, poderá haver redução de visitantes e até separação entre setores. Estes são dados que foram discutidos numa reunião, no mês passado, entre o Governo e as autarquias, mas que estão ainda numa fase embrionária de análise e as decisões poderão mesmo ser tomadas só lá para meados de maio.

Recorde-se que em 2020 já não houve a FATACIL, nem nenhum dos outros grandes eventos de Verão no Algarve, como o Festival da Sardinha (Portimão), o Festival do Marisco (Olhão) e a Feira Medieval (Silves), num entendimento entre as respetivas autarquias para que nenhuma tirasse benefício de um eventual período menos gravoso da pandemia, que coincidisse com um dos eventos.

You may also like...

Deixe uma resposta