Portimão reforça profissionalização de bombeiros

A força mínima de intervenção dos Bombeiros de Portimão foi reforçada com cinco novos postos de trabalho, através da assinatura de um protocolo que estabelece a criação de mais uma EIP – Equipa de Intervenção Permanente, cujos vencimentos são suportados em partes iguais pela Administração Central, através da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, e pela autarquia local. 

A equipa vem fortalecer o apoio à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Portimão, que vê aumentada a sustentabilidade de uma capacidade de resposta no âmbito da proteção e socorro, 24 horas por dia, com recurso a bombeiros profissionais.

Exemplo nacional

O Município de Portimão iniciou em 2014 um quadro de cooperação com a associação humanitária, o qual tem sido alvo dos maiores elogios pelos vários atores do sistema de emergência e proteção civil, tendo sido partilhado e replicado em inúmeros municípios de norte a sul do país. 

Também o Tribunal de Contas visou anualmente os protocolos sem quaisquer reservas e, ao contrário de outras autarquias, não resultaram nenhumas recomendações na sequência de uma auditoria realizada e que apurou todos os processos inerentes, verificando em pormenor a aplicação/gestão das verbas públicas direcionadas a esta importante vertente estratégica da segurança dos portimonenses e das milhares de pessoas que escolhem Portimão para passar as suas férias.

As verbas disponibilizadas para a manutenção de uma força mínima de intervenção operacional ininterrupta, com uma composição mínima de 15 operacionais, com elevado grau de prontidão para assegurar as missões legalmente confiadas aos corpos de bombeiros, permitiu sustentar o tempo médio de despacho em um minuto, o que assegurou a chegada aos locais das ocorrências e resolução das mesmas muito precocemente, mitigando os riscos e limitando as consequências.

Assegura ainda uma capacidade de intervenção especializada, que garante, 24 horas por dia, logo desde o primeiro alarme, as seguintes valências: salvamento técnico por cordas; buscas e resgate em estruturas colapsadas; resgate em águas bravas; escoramentos e desobstrução; resgate em valas; e, por fim, operação de drones, aeronaves não tripuladas.

É ainda mantido um destacamento de bombeiros no Aeródromo Municipal de Portimão para cumprir os requisitos legais inerentes à operacionalização de uma brigada, de acordo com os normativos da Autoridade Nacional de Aviação Civil.

Papel preponderante na resolução de problemas

Esta aposta municipal resulta do reconhecimento do papel preponderante que os bombeiros assumem na resolução dos problemas, pois são eles que surgem desde o primeiro ao último momento em cada ocorrência, garantindo que Portimão é um destino turístico internacional seguro.

Acompanhar a capacidade de adaptação, a qualidade e a prontidão que caraterizam os Bombeiros de Portimão é considerado pela autarquia um imperativo de investimento essencial para os resultados muito positivos com retorno direto na proteção e socorro das populações, sendo os ‘soldados da paz’ locais uma referência nacional, e até internacional, no que concerne à sua capacidade de resposta nas múltiplas valências/áreas de intervenção.

Neste projeto, tem sido possível encontrar um equilíbrio que salvaguarda o papel preponderante do voluntariado nos bombeiros, pelo que o programa de investimento municipal não visa eliminar este património imensurável que o concelho dispõe, visando sim assegurar que existe uma força mínima de intervenção dedicada em exclusivo a uma resposta imediata, 24 horas por dia, salvaguardando os seus concidadãos. 

Maior unidade do Algarve

O Corpo de Bombeiros de Portimão é desde 2016 a maior unidade do Algarve, contando com cerca de 130 elementos, 50 dos quais profissionais, e a autarquia tem apostado significativamente na qualificação dos recursos humanos, ao assumir os custos inerentes à formação diferenciada que ao longo dos últimos anos foi proporcionada.

Nesse sentido, o Município de Portimão entende ser fundamental garantir que aquela associação humanitária está dotada da estabilidade, operacional e financeira, que permita evoluir e direcionar o seu esforço, não para saber como vão pagar os vencimentos no final do mês, mas para encontrar as melhores soluções na resposta às mais exigentes e desafiantes operações de emergência e proteção civil.

Um dos grandes objetivos deste modelo de financiamento é assegurar que quem escolhe ser bombeiro de profissão encontre a necessária estabilidade no desempenho da exigente missão que lhe está confiada.

You may also like...

Deixe uma resposta