Delta entregou cadeiras de rodas

A Delta Cafés, grupo que tem um armazém no Parchal, ofereceu diversos equipamentos a duas entidades ligadas à saúde, naquele que é um gesto solidário já habitual.

No dia 16 de abril, a Associação Elos de Esperança, grupo de voluntariado que apoia os utentes da unidade de Portimão do Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA), recebeu cadeiras de rodas e andarilhos.

Na sessão participaram Fernanda Teixeira, presidente da associação e Luís Batalau, da Elos de Esperança, Ana Castro, presidente do Conselho de Administração do CHUA, e Eduardo Catarino, diretor do Departamento Comercial do Barlavento Algarvio, acompanhado por Carlos Reis, do mesmo departamento no Sotavento. Os responsáveis da Delta representaram os muitos trabalhadores do grupo que, todos os anos, se juntam para reunir uma verba que é entregue a Rui Nabeiro.

“É um esforço natural que todos os trabalhadores têm feito ao longo dos anos, valor que é entregue ao nosso patrão Rui Nabeiro que, por sua vez, delega a oferta a instituições deste país. Já lá vão uns anos que o faz e muito bem”, explicou Eduardo Catarino.
Em 2021 a entrega contemplou três instituições do país, duas delas sediadas em Portimão e uma em Rabo de Peixe, nos Açores.
“Espero que todos estes materiais sejam úteis e podem contar connosco como sempre. Rui Nabeiro é uma pessoa disponível para colaborar com estas instituições, por isso estamos sempre aqui”, assegurou.

Ainda neste âmbito, Fernanda Teixeira, da Elos de Esperança, agradeceu o apoio do grupo que tem sido um parceiro. “Tem ajudado a levar os nossos sonhos avante”, sobretudo em algo muito especial que é a ‘hora da partilha’, a distribuição da bolacha e do café aos utentes do CHUA, conta. Também Ana Castro, presidente do Conselho de Administração do CHUA, sublinhou a importância da Delta, que tem sido parceira, sobretudo “nas alturas mais difíceis vividas durante a pandemia”.

Na semana seguinte, foi a vez do Agrupamento de Centros de Saúde do Barlavento receber medidores de tensão, termómetros e outros equipamentos, bem como um desfibrilhador. Este DAE foi dado à unidade de Monchique, que não tinha nenhum, enquanto os restantes foram distribuídos pelos centros de Messines, Aljezur e Vila do Bispo. Na sessão esteve Leonor Bota, diretora executiva do ACES Barlavento.

You may also like...

Deixe uma resposta